Passo a passo para planejar sua viagem para a Chapada Diamantina

A Chapada Diamantina é o destino perfeito para quem gosta de natureza e aventura. Além das cachoeiras e poços maravilhosos, são diversas opções de trekking e esportes radicais. A Cachoeira da Fumaça, o Poço Encantado e o Vale do Pati são apenas alguns dos atrativos imperdíveis que você vai encontrar por lá. Se já está sonhando com sua viagem, encontre aqui tudo que você precisa saber para planejar seu roteiro: como chegar, melhor época para ir, onde se hospedar, quais são os principais passeios e dicas gerais.

Agora, prepare-se, porque a Chapada é para os fortes. Tem que estar preparado, com bom condicionamento físico, porque não é mole não viu? As trilhas são super extensas e cansativas, mas vale todo o esforço para ter o privilégio de ver de perto cada cantinho mágico que ela esconde. Mas se você não é do tipo que faz trilhas, não vá deixar de ir por causa disso! Há também passeios mais acessíveis e trilhas de mais fácil acesso.

Voltamos para casa já com vontade de ir de novo! A gente ficou só 10 diazinhos e acho que para conhecer tudo, só ficando uns 3 meses por lá para percorrer todo o parque de norte a sul. Como ficamos no Capão, concentramos mais na parte sul e nos passeios nos arredores, mas acabou faltando algumas das principais, como o Buracão, o Poço Azul e o Poço Encantado.

Aproveitei a viagem para reunir várias dicas para vocês, leitores, para facilitar a vida na hora de programarem suas viagens. Qualquer dúvida ou sugestão, deixem nos comentários!

Onde fica?

onde fica a chapada diamantina

Bem no coração da Bahia encontra-se a Chapada Diamantina, uma região de serras, com inúmeras nascentes, cachoeiras abundantes e formas de impressionar. São 1520km² distribuídos em 24 municípios, sendo os principais Lençóis, Palmeiras, Mucugê e Andaraí.

Distâncias
Salvador 430km
Rio de Janeiro 1500km
São Paulo 1740km
Belo Horizonte 1150km
Brasília 1100km

Qual é a melhor maneira de chegar na Chapada Diamantina?

aeroporto lençóis chapada diamantina

De carro

Há diversas opções para se chegar na Chapada Diamantina. Uma delas é colocar o pé na estrada e percorrer os mais de 1400km (partindo do Rio) para chegar lá. Se essa for sua escolha, o ideal é ir revesando no volante para ninguém ficar sobrecarregado. Tenha em mente que serão de 2 a 3 dias na estrada e longas horas dirigindo por dia.

De avião + ônibus

Outra opção é voar até Salvador e de lá pegar um ônibus até Lençóis ou a cidade em que você vai se hospedar. A Real Expresso é a empresa que faz o trecho Salvador – Lençóis (o mesmo ônibus segue para Palmeiras/Vale do Capão*), os horários são às 7h, 13h e 23h. Você vai confortável em um semi leito, mas são cerca de 7h na estrada.

*Se seu destino for o Vale do Capão, ao chegar à cidade de Palmeiras, existem carros disponíveis para frete.

Se você preferir mais conforto, é possível contratar um transfer Salvador-Lençóis. Pode confiar no Nininho que o serviço dele é excelente, super confiável e gente boa. Ele também faz transfer para passeios dentro da Chapada Diamantina.

Contato Nininho: (75) 3344-1133 / (75) 99118689

De avião

A terceira opção (a melhor delas na minha opinião) é ir de avião até Lençóis. Atualmente a Azul tem voos duas vezes por semana (quintas e domingos), e dependendo da época há preços ótimos. É só ficar de olho nas promoções!

Chegando em Lençóis, é necessário pegar um taxi até o centro da cidade, pois o aeroporto fica meio afastado. O valor médio da corrida é de R$70.

Outra opção é pegar um transfer. Encontrei a empresa Chapada Adventure que faz esse serviço por R$25 por pessoa. Tel: 75 3334-1933

Aluguel de carro

Independente da maneira que você escolher, uma coisa é certa: alugar um carro é imprescindível para ter mais mobilidade, deixar seu roteiro de viagem bem amarrado e pagar um preço razoável nos passeios (quando inclui locomoção fica bem mais caro!). Claro, se você estiver viajando sozinho ou a dois, talvez não queira absorver todo o custo de aluguel + gasolina. É possível fechar os passeios com tudo incluso nas agências também.

Locadoras de carro em Lençóis:
Pangola: (75) 3331-1105
Lukdan: (75) 3334-1995

Entendendo a Chapada Diamantina

nascer da lua chapada diamantina

A Chapada Diamantina abrange 24 municípios, ou seja, é beeem grande. Para conhecer os principais atrativos da região, o ideal é ir no estilo nômade e não ter um ponto de apoio fixo, mas estar de carro e ir parando no caminho.

Eu adoro a liberdade de alugar um carro e fazer os passeios tranquilamente, com tempo para parar em cada lugar e aproveitar bastante. Se você não curte muito ir por conta própria e prefere o conforto de ter a viagem toda organizada por uma agência, você pode pesquisar o melhor pacote que se adequa a você em uma das empresas de turismo que atuam na Chapada da Diamantina. No final do post fiz uma lista com algumas delas para ajudar.

As principais cidades são Lençóis, Andaraí, Ibicoara, Mucugê e o Vale do Capão, distrito de Palmeiras. Entenda um pouquinho de cada uma delas abaixo.

Lençóis

Essa é a porta de entrada da Chapada. Bucólica e cosmopolita, lá você encontra gente do mundo inteiro, tem muitos turistas estrangeiros, mas ainda assim ela tem uma vibe de cidadezinha do interior. Suas ruas lembram um pouco o Pelourinho, em Salvador, só que muito mais seguro, claro.

São diversas opções de restaurantes e barzinhos. Tem lojinhas com souveniers também e bastante movimento, mas só depois das 16h. Se você chegar lá no meio da tarde não vai encontrar muita coisa aberta. É que eles tem um horário de funcionamento diferenciado: de manhã e no cair da tarde até a noite.

Andaraí

Andaraí é um bom ponto de apoio para diversas atrações nas proximidades do Parque Nacional da Chapada Diamantina. Muitos passeios saem de lá para ir ao Poço Encantado e Poço Azul. Há também diversas grutas para visitar por lá.

Quer uma dica? Para conhecer o Poço Encantado em sua melhor forma, vá em Setembro. É o melhor mês para ver a luz do sol batendo nas águas cristalinas.

Mucugê

A cidade é si é uma graça com suas simpáticas ruas de pedra e sobrados que datam do início do século XIX. Há também um cemitério bisantino, único desse estilo no Brasil, que é atração na cidade.

Se você gosta de ecologia e meio ambiente, visite o projeto de educação e preservação ambiental Sempre-Viva.

Não vale a pena ir especificamente para lá, mas se você estiver de passagem, por que não dar uma paradinha?

Ibicoara

Em Ibicoara você encontra algumas das principais atrações da Chapada Diamantina: a Cachoeira do Buracão, com cerca de 85 m de altura. Há também a Cachoeira da Fumacinha, outra famosa por sua beleza. Para os adeptos de esportes de aventura (rapel, cascading, escalada e trekking) esse é um ótimo destino.

Vale do Capão

O Vale do Capão é a área mais hippie da região. Há uma grande concentração de pessoas paz e amor e é um dos lugares mais procurados para a realização do turismo terapêutico e de contemplação. Muitas hospedagens do local unem conforto a atividades ligadas ao bem-estar.

O Vale faz parte do município de Palmeiras e seu acesso é feito por uma estradinha de terra que leva cerca de 30 minutos. Lá está localizada uma das principais cachoeiras do Parque Nacional Chapada Diamantina: a Fumaça.

Quando ir?

trekking vale do pati

De Novembro a Abril é a época quente e úmida. Porém, fomos em dezembro e não vimos quase nada de chuva enquanto estivemos lá. Entre Maio e Outubro estão os meses mais secos e frios, que dizem ser a melhor época para ir.

Independente do mês do ano que você escolher, você encontrará ótimos passeios para fazer por lá. Existem aqueles que são melhores em épocas de chuva e outros que são melhores na seca.

Onde se hospedar

lençóis chapada diamantina

Apesar de não parecer, a Chapada Diamantina é bem extensa e o lugar em que você vai passar seus dias, será determinante na hora de escolher os passeios. Não adianta se hospedar na parte norte e resolver fazer os passeios do sul, porque você vai levar horas na estrada para chegar no início da sua trilha ou passeio. Como citei ali em cima, o ideal é fazer um circuito e ir parando nas cidades.

A gente optou pelo Vale do Capão, uma ótima opção para quem está procurando tranquilidade. A vila é super pequena e é bem mais tranquila que as outras cidades, sem muito tumulto.

Lá tem pousadas para todos os bolsos, como a calma Pousada Zazen, a Pousada Tarumim, que está coladinha na trilha da Fumaça, e a Pousada Tatu Feliz, que é bem no centro da vila. Se você prefere algo mais íntimo, os Chalés da Êmina são super simples e fofos. Contato Êmina: (71) 3248-5183 / (75) 3344-1271.

[Alugamos uma casa lá e, por conta disso, tivemos que abdicar de passeios no sul, como a Fumacinha e o Buracão. Se eu fosse de novo, com certeza faria o circuito.]

Lençóis foi a cidade que mais gostamos. Além de super charmosa, é onde você vai encontrar a melhor estrutura de hotéis e restaurantes. Encontrei ótimas opções de pousadas e hotéis no Booking, como a Pousada Vila Serrano, o Hotel de Lençóis e o Albergue de Lençóis Backpackers.

Ao visitar a Fumacinha e o Buracão, é uma boa dormir uma noite em Ibicoara ou Mucugê: dentre as pousadas da região, gostamos da Pousada Monte Azul, Pousada Flor de Lótus, Pousada Portal dos Avataras ou Pousada Kabana de Pedra.

Quais são os principais atrativos na Chapada Diamantina

Pratinha, Iraquara

De água cristalina, a Pratinha é uma gruta onde é possível fazer flutuação, por vezes na companhia de tartarugas e peixes. Localizada dentro da Fazenda Pratinha, há também outras opções de lazer, como uma tirolesa e banho no rio com fundo branquinho em plena Chapada.

Pratinha, Chapada Diamantina

Torrinha, Iraquara

Além de diversas estalagmites e estalactites, a Torrinha é uma caverna que tem formações únicas, como as que se encontram no Salão das Flores. São mais de 20km de extensão subterrâneos, mas somente 12,5km são exploráveis.

Pôr do sol no Morro do Pai Inácio, Palmeiras

Esse passeio é clássico e para todas as idades. São apenas 20 minutos de trilha para ter um visual belíssimo das montanhas a quase 1200m de altitude (foto de capa). O cartão-postal é de fácil acesso, fica localizado entre Lençóis e Palmeiras, na BR242. Clique aqui e veja fotos e saiba como chegar.

É possível combinar em um único dia a Torrinha, a Pratinha e o Morro do Pai Inácio. A gente fez com tempo de sobra esses 3 passeios em um dia e foi ótimo!

Cachoeira da Fumaça, Vale do Capão

A cachoeira mais famosa da Chapada Diamantina despenca de mais de 300m de altura e suas águas dançam no ar até tocar o solo. Para vê-la do alto, será necessário enfrentar uma trilha de 6km. Mesmo se estiver com clima seco, como foi o nosso caso, vale a pena ver com os próprios olhos essa maravilha da natureza. Clique aqui e conheça mais sobre essa trilha.

queda cachoeira da fumaça chapada diamantina

Cachoeira do Buracão, Ibicoara

Localizado em Ibicoara, no sul da Chapada, o Buracão é acessível através de uma trilha de 3km que leva ao seu topo. É legal também descer para tomar banho dentro do cânion.

Cachoeira da Fumacinha, Ibicoara

A Cachoeira da Fumacinha é um passeio de um dia inteiro de caminhada pesada. Por ser de nível difícil, não é todo mundo que vai se aventurar por lá e por conta disso, é um privilégio para poucos. Chegando lá, você encontra uma das mais impressionantes cachoeiras da Chapada.

Poço Azul, Nova Redenção

Santuário ecológico, o Poço Azul é um pequeno paraíso no meio da Chapada e, como o nome já diz, tem uma água azulzinha de encher os olhos! O acesso é facilitado por escadas e é possível fazer flutuação.

Poço Encantado, Itaeté

Com áreas que variam de 20 a 60m de profundidade, a água é tão clarinha que é possível ver o fundo. Vá nos meses de inverno, pois é quando entram feixes de luz que tornam a experiência ainda mais especial. A temporada acaba em setembro.

Poço Encantado e Poço Azul costumam ser feitos em um único dia, já que ficam próximos um do outros. Se for em alta temporada, se prepare, podem haver filas de horas.

Cachoeirão, Vale do Pati

O Vale do Pati é um desafio até para quem já é mais experiente em trilhas. Não há acesso fácil, é um dia inteiro para chegar e outro dia inteiro para sair. Mas quando você chega lá, no meio de um lugar tão sereno e tranquilo, é difícil querer sair. Geralmente as expedições duram de 3 a 5 dias. A gente fez em 2 por causa do mau tempo e, claro, saímos com gostinho de quero mais.

Clique aqui e veja tudo o que você precisa saber para planejar seu trekking pelo Vale do Pati

melhores lugares para conhecer na chapada diamantina

Poço do Diabo, Lençóis

Poço ótimo para nadar e aproveitar o calor da Bahia. A trilha é considerada fácil, pois são apenas 30min de caminhada. Para os mais atrevidos, há um pulo de 20m de altura.

 Confira nosso post com 14 dicas essenciais para quem está começando a fazer trilhas.

Quanto custou a viagem

O custo da viagem para a Chapada Diamantina pode variar muito. Para você ter uma ideia de gastos, vou dividi-los em 4 categorias: transporte, alimentação, passeios e hospedagem.

Transporte

Se você vai de carro até lá e quer saber o gasto com gasolina, veja no Google Maps quantos quilômetros você vai percorrer e calcule cerca de 10km/l de gasolina. Claro que isso varia muito de carro para carro, mas é bom para ter uma média.

Lá dentro da Chapada, todos os passeios são bem longe. Calcule que você vai rodar ao menos 500km por lá.

Distâncias:
Lençóis – Vale do Capão (Cachoeira da Fumaça): 75km
Lençóis – Ibicoara (Buracão): 210km
Lençóis – Poço Encantado: 140km
Lençóis – Pratinha: 60km

Sobre pedágios, não há muitos no caminho e o pedágio no estado da Bahia é barato, se comparado ao do Rio de Janeiro. Lá custou cerca de R$3 cada um.

Alimentação

Comer por lá não é muito caro, varia de localidade para localidade. No Vale do Capão há PFs bem servidos por R$15 (não deixe de ir ao restaurante da Dona Belí!).

Em lençóis o valor aumenta um pouco por ser mais turístico. Há diversas opções de restaurantes legais de comida típica, pizzarias, entre outros. Neste caso, você provavelmente vai gastar de R$30-R$60 por pessoa em uma refeição. Mas há também alguns de comida a quilo, que são mais em conta e seu prato vai dar entre R$15-R$20.

Passeios

O passeio do Vale do Pati custa em torno de R$200-R$300, incluindo guia e hospedagem.

Os demais passeios custam em torno de R$40-R$60 apenas o guia.

Os lugares em que há uma taxa de entrada são: Pratinha, Poço Encantado, Torrinha e demais grutas. O preço fica em torno de R$20-R$30 cada.

Hospedagem

Este é o item que mais vai variar, pois dependerá do tipo de acomodação. Há para todos os bolsos. Eu costumo usar o Booking para ter uma ideia de preço.

Dicas gerais

trilhas na chapada diamantina

O que levar na mala

1. Tênis confortável ou botinha de trilha;
2. Roupas com proteção UV para caminhadas;
3.Óculos escuros, boné ou chapéu para as trilhas;
4. Protetor Solar (pode parecer que não mas o sol da montanha queima bastante!);
5. Repelente;
6. Capa de chuva (foi muito útil para mim durante o trekking no Vale do Pati);
7. Camelbak para água (para mim, o item mais essencial de todos);
8. Lanterna (para o caso de se perder ou escurecer durante as trilhas);
9. Dinheiro em espécie, pois o acesso ao banco é limitado;
10. Sua GoPro para registrar tudo!

Banco

É bom levar um pouco de dinheiro em espécie para não ser pego de surpresa. Confira abaixo os bancos que você encontra em cada cidade:

Lençóis: Banco do Brasil (agência), Caixa Econômica (na casa lotérica) Correios (Banco Postal BB), caixas para sacar Bradesco em comércio local (não conte muito com esse serviço).

Mucugê e Andaraí: Banco do Brasil (agência), Caixa Econômica (na casa lotérica) Correios (Banco Postal BB).

Palmeiras: Bradesco (agência), Banco do Brasil (caixa eletrônico e Banco Postal nos Correios) e Caixa Econômica (na casa lotérica).

Ibicoara: Bradesco (agência), Banco do Brasil (caixa eletrônico e Banco Postal nos Correios) e Caixa Econômica (na casa lotérica).

Postos de gasolina

Nas principais cidades você encontra postos de gasolina, mas lembre-se de sempre encher o tanque pois muitas vezes você pegará estrada de terra por longos quilômetros e não encontrará postos no caminho. Não há no Vale do Capão.

Guias

É importante ter um guia acompanhando nas trilhas para não correr o risco de se perder ou de se machucar sozinho sem preparo e sem conhecer bem a região. Em qualquer uma das cidades que você for, você pode ligar para a associação de guias e solicitar os serviços de algum deles.

Dica: se você fechar os passeios em agências vai sair mais caro. Geralmente o preço nas associações é mais em conta.

Dica 2: procure conhecer o seu guia antes de fechar a trilha com ele, marque de vocês se encontrarem para bater um papo, pois você não vai querer gastar horas do seu dia com uma pessoa desagradável ou que você não tenha simpatia. Digo isso por experiência própria.

Associação de Condutores de Visitantes:
Lençóis: (75) 3334-1425
Andaraí: (75) 8137-1679
Ibicoara: (77) 3413-2048
Mucugê: (75) 3338-2414
Vale do Capão: (75) 3344-1087
Iracoara: (75) 3625-1084
Ibicoara: (77) 3413-2468

Agências 

Extreme Eco Adventure: http://www.extremeecoadventure.com.br/
Desviantes: http://desviantes.com.br/
Fora da Trilha: http://www.foradatrilha.com.br/
Terra Chapada: http://www.terrachapada.com.br/
Adventure Club: http://www.adventureclub.com.br/
Bicho de Serra: (75) 3344-1156

Energia elétrica

220v

Aluguel de carro

Se você for alugar um carro, nós super recomendamos o RentCars para pesquisar preços pois ele faz uma compilação de todas as grandes locadoras de carro (Hertz, Avis, Europcar, Sixt…). Faça sua reserva através do blog sem custos adicionais. É só clicar aqui.

PS: Que tal fazer um combo de viagens nas suas férias? A Nanda foi para Morro de São Paulo e adorou! Confira o roteiro de 5 dias em Morro de São Paulo que ela preparou e aproveite para tirar uma casquinha de lá com 12 fotos para amar Morro de São Paulo.

Buy us a coffee (3)