Tudo sobre a trilha da Pedra da Gávea (via Pico dos 4)

Com seus 844m de altura, a Pedra da Gávea é um dos cartões postais da Cidade Maravilhosa. Além de ter uma formação singular, ela nos dá uma incrível visão panorâmica do Rio. Está planejando sua trilha para lá? Confira esse post com tudo o que você precisa saber para ir pela via alternativa do Pico dos 4: nível de dificuldade, onde começa, equipamentos necessários, guias, etc.

Pedra da Gávea, Garganta do Diabo

Lá de cima você tem uma vista panorâmica da cidade, da Zona Sul à Zona Oeste, passando por toda a orla carioca. Você vai ver os principais pontos turísticos: o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, a Pedra Bonita, o Morro Dois Irmãos, a Baía de Guanabara e por aí vai. Além disso, ainda tem a imponente Floresta da Tijuca, que faz contraste com o imenso mar azul que você vê a sua frente.

É possível também ver de perto a Cabeça do Imperador, que é aquele rosto esculpido pelo tempo na Pedra da Gávea. Alguns chamam a formação apenas de “O Gigante da Pedra da Gávea”.

Sabia que a Pedra da Gávea é o maior bloco de pedra à beira mar do mundo? Por sua imponência, ela é uma das trilhas mais procuradas do Rio, e até do Brasil!

Nossa experiência

Começamos nossa expedição para a Pedra da Gávea às 8h da manhã de um domingo de sol. A movimentação lá no início da trilha era grande, havia muitos carros estacionando e até alguns ônibus de turismo chegando. Ficamos um pouco preocupados de estar muito cheia a trilha, mas já era de se esperar, pois domingo é um dia de bastante movimento.

Logo depois dos primeiros 15 minutos de trilha, pegamos uma outra via, que vai pelo Pico dos 4 (esse morro da foto aqui embaixo). Como ela é muito mais demorada que a tradicional via Carrasqueira e requer equipamentos, apenas algumas pessoas optam por ela. Isso foi ótimo, pois tivemos o caminho livre na maior parte do tempo.

pico dos 4, pedra da gavea

A primeira hora de caminhada é sempre a mais puxada. Acho que o corpo ainda está frio e ele demora um pouco até pegar o ritmo. Depois disso, seguimos tranquilamente até o topo, parando algumas vezes para respirar e hidratar.

Depois de umas 3 horas e uma pequena escalada, chegamos na Garganta do Diabo, uma janela maravilhosa para a vista do Morro Dois Irmãos e o bairro de São Conrado. Visto de cima o Rio é mesmo incrível!

Garganta, Pedra da Gáveagarganta do diabo, pedra da gáveaLogo antes de chegarmos no topo da Pedra da Gávea, paramos em meio a umas árvores para fazer um lanchinho e respirar um pouco. Ter uma sombra nesse momento foi essencial!

Finalmente chegamos lá em cima, que vista incrível da cidade! Dava pra ver tudo, desde a Pedra da Tartaruga, em Guaratiba, até o Cristo, o Morro da Urca, a Baía de Guanabara…Vista Barra da TIjuca Pedra da Gáveavista zona sul Pedra da Gávea

Depois de muitas fotos lá em cima em todos os ângulos possíveis, hora de descer. Boa parte da descida é na sombra, o que é ótimo. Pegamos o caminho traidicional, via Carrasqueira, mas fizemos um pequeno desvio. Ao invés de aguardar um tempão na fila para descer pelas pedras da Carrasqueira, descemos de rapel pela pedra lateral. Essa é uma das vantagens de estar com guia!

rapel pedra da gavearapel pedra da gavea

Olhem o engarragamento que fica na Carrasqueira! Isso porque, segundo o pessoal que tava com a gente, nem era um dia tão cheio!

carrasqueira pedra da gavea

Paramos para fazer uma última sessão de fotos nesse lugarzinho incrível aí embaixo. Ele é apenas um desvio da trilha principal, mas não há referências, então tem que ir com alguém que saiba o macete.

Pedra da Gávea

Depois de horas descendo e com a perna pedindo arrego, chegamos, mortos, mas felizes com a sensação de missão cumprida!

Nível de dificuldade

Pesado. Não indico para quem não está acostumado a fazer esse tipo de atividade. Se for sua primeira trilha, opte pela vizinha Pedra Bonita ou pelo Morro Dois Irmãos, que são mais leves e também oferecem uma vista bonita da cidade.

A trilha via Pico dos 4 leva, no total, cerca de 8h, com paradas em pontos estratégicos para fotos. É um passeio de um dia inteiro. Só a subida leva umas 4h, enquanto a subida tradicional (via Carrasqueira) leva cerca de 2h30.

Início da trilha

Acesso: Parque Nacional da Tijuca – Setor C

Endereço: Estrada do Sorimã, Barra da Tijuca

Coloque no Waze o endereço acima e siga suas instruções. Vá até onde acaba o caminho de carro. Você vai passar pela Praça Prof. Velho da Silva e seguir em uma ruazinha estreita até chegar em frente a um portão verde, que fica ao lado da portaria do parque.

Dá para estacionar bem ao lado do portão de entrada da trilha, mas dependendo do dia, pode estar muito cheio. Se você chegar cedo, umas 7:30h, provavelmente ainda vai ser tranquilo de achar vaga lá em cima.

Horário de visitação: 8h às 17h (até às 18h no verão)

Para mais informações:
Tel: (21) 2492-2252 / 2492-2253
Website: www.parquedatijuca.com.br

Ir ou não com guia

Não costumamos fazer trilhas no Rio com guias, pois geralmente tem algum amigo no grupo que já foi e isso facilita a nossa ida. Mas sei que muitos de vocês não conhecem bem a cidade, estão em grupos pequenos ou não se sentem seguros em fazer trilhas sozinhos.

De qualquer forma, indicamos ir acompanhado de guia nessa trilha em especial, pois há trechos em que é necessário o uso de equipamentos para fazer rapel e escalada. Além disso, há trechos perigosos, em que ter o auxílio de alguém que conheça bem o caminho ajuda a tranquilizar.

Guias

Kmon Adventure – www.kmonadventure.com.br
Alex – 021 98480-1070

Checklist com itens essenciais para a trilha

Fiz uma pesquisa de onde encontrar os melhores acessórios que citei abaixo. Para conferir é só clicar em cima do que te interessou!

Mochila de ataque de 30-40l;
Tênis ou bota de caminhada confortável;
Roupas leves com proteção UV ;
Chapéu ou boné;
Óculos de sol;
Lanterna;
GoPro (para registrar todas as paisagens lindas);
Camel back (reservatório de água com aquela mangueirinha sabe?);
Luva de academia;
Lanchinhos;
Sacolinha de lixo (para não deixar vestígios no caminho).