Roadtrip pelo Norte Argentino [Dia 4]: Cuesta del Lipan, Salinas Grandes e San Antonio de los Cobres

No quarto dia da nossa viagem, conhecemos lugares de beleza natural incrível na Puna argentina. Da incrível Cuesta del Lipan, uma estrada  que vai serpenteando morro acima até chegar a uma altura de 4100m, até a imensidão branca que é Salinas Grandes.

Já leu esse post com tudo o que você precisa saber para planejar sua viagem para Salta e Jujuy?

 

Depois do dia incríveis que passamos em Purmamarca, seguimos viagem pela Cuesta del Lipan até chegar em Salinas Grandes, onde tivemos a incrível experiência de explorar os “ojos del mar”. O dia terminou em San Antonio de los Cobres, mas não antes de passar por uma estradinha pouco sinalizada e nada asfaltada. Uma estrada dessas no meio do nada é incrível, pois realmente não há nada em volta, pouquíssimos povoados, muitos abandonados, e nem pense em postos de gasolina. Andar com o tanque cheio é obrigatório.

Ruta 52 Argentina

Puna Argentina

Cidade abandonada norte argentina

Cuesta del Lipan

Estrada que liga Purmamarca a Salinas Grandes, com apenas 17 km de comprimento, mas com inclinação impressionante. Saindo de 2.192m em Purmamarca para meros 4.170m em Abra de Potrerillos (ponto mais alto). Em seguida, a estrada desce para Salinas Grandes e chega a 3.450m.

Pavimentada, a estrada deve ser dirigida sem pressa, pois há alguns trechos precários e ela não é exatamente sinalizada. Em determinado ponto, há um mirante (de onde tiramos essa foto) onde as pessoas podem observar a estrada serpenteando e os carros subindo lentamente.

mirante cuesta del lipan

Cuesta del Lipan, Argentina

Essa é uma daquelas estradas cinematográficas que dá gosto de dirigir. A cada curva a paisagem vai ficando mais bonita, dá vontade de parar, descer do carro, tirar fotos e apreciar a vista! O caminho é árido, sem muita vegetação. Há também lhamas de diversas cores e vicuñas selvagens. (liiindas)

lhamas cuesta del lipan

vicuñas argentina

Depois de muitas curvas, llamas e vicuñas, chegamos a 4170m de altura! Isso foi o mais alto que já fui na vida! Apesar da altitude, não tivemos problemas para respirar ou tonturas e esses sintomas que costumam ocorrer nestes casos. Acho que é porque fomos subindo aos poucos, desde Salta até lá, parando em diversos povoados no caminho.

Lá, no meio do nada, sem nenhum povoado ou casa em volta, havia dois artesãos esculpindo pedras para vender aos turistas. Apesar de rústicas, achei as peças bem legais e comprei algumas para dar de presente.

Cuesta del Lipan altitude

Salinas Grandes

Uma paisagem branca para todos os lados, uma imensidão de sal e bem ao longe as montanhas, isso é Salinas Grandes. Localizada na bela Ruta 52, que liga a Argentina ao Deserto do Atacama, o salar é uma boa opção de parada para quem está fazendo uma roadtrip pela América do Sul.

Muito mais singela que o vizinho Salar de Uyuni, na Bolívia, as Salinas Grandes ocupam cerca de 212 km², contra 10.582 km² do boliviano. Ainda assim, é um passeio que vale a pena, desde que você não esteja seguindo viagem para o Uyuni. O que eu quero dizer é: se Uyuni estiver no seu roteiro, pode dispensar Salinas Grandes por motivos óbvios, se não estiver, vale muito a pena conhecer porque é realmente incrível!

estrada salinas grandes argentina

roadtrip norte argentina

E os “ojos del mar” que encontramos no meio da salina? Foi de tirar o fôlego! Para chegar até lá contratamos os serviços de uma guia local que foi junto com a gente no carro até chegarmos lá. Ela nos explicou um pouco sobre a formação do salar e dessas piscinas naturais que se formam por lá. Custou cerca de 200 pesos, mas valeu a pena. Não teríamos chegado lá sem ela, até porque é perigoso entrar lá sem conhecer os caminhos certos. Pense que você fica sem referencial nessa imensidão branca e que há alguns locais com essas piscinas, algumas maiores, outras menores. Daí para você ficar entalado lá no meio do nada… Que desastre que seria!

Ojos del Mar Salinas Grandes Argentina

salar norte argentina

Visitar um salar foi uma das experiências mais fascinantes que já tive. Estar imersa naquela branquidão e pensar que lá onde eu pisava foi um imenso lago algum dia é incrível! E claro, tirar aquelas clássicas fotos com ilusões de perspectiva. Aí é só ter mais alguém para dirigir as fotos e abusar da criatividade.

foto salar perspectiva

fotos divertidas em salar

Não há uma estrutura turística muito boa na região, nada de restaurantes ou quiosques de comida. O máximo que você vai encontrar são alguns locais vendendo artesanato e um banheiro químico, que era até limpinho viu!

salinas grandes jujuy argentina

artesanato de sal argentina

Ah! Lembre-se de passar protetor solar porque o sol que reflete no branco queima que é uma beleza. E não deixe de passar a mão no chão para provar e comprovar que é sal mesmo! rs

salina argentina

San Antonio de los Cobres

San Antonio de los Cobres é uma pequena cidade mineira em meio a desértica região de Puna, no norte Argentino. Localizada a 168km de Salta e a uma altitude de mais de 2600m acima do nível do mar, ela sofreu depois que as minas e a estrada de ferro se deterioraram. Por outro lado, ela é um ótimo exemplo de uma típica povoação andina, com casas de adobe, ruas quase desertas e uma impressionante queda de temperatura após o anoitecer.

San Antonio de los Cobres, Argentina

San Antonio de los Cobres Ruta 40

A cidade oferece poucas opções de restaurantes e não tem muitos pontos turísticos. Um dos mais conhecidos é o Viaducto La Polvorilla, que é um imponente viaduto, construído em 1930 e com 224m de extensão. Se pensar por esse lado, ele até pode ser impressionante, mas sejamos francos, não é nada demais.

Viaduto La Polvorilla Tren a las Nubes

Outro atrativo da cidade são as lhamas de Anatolio. Eu não pude fazer esse passeio, mas ouvi boas indicações. Você vai até a casa de Anatolio e compartilha de sua vida diária de pastor de lhamas, que são fofas e ornadas com apetrechos coloridos na cabeça.

Lhama puna argentina

Eu sinceramente achei San Antonio de los Cobres nada demais. Ela é uma cidade desértica no meio do nada e é muito fora de mão para incluir no roteiro.

Se você for seguir viagem até a região de Tolar Grande, aí sim vale a pena, pois ela fica no meio do caminho para lá. Esteja preparado com um 4×4 e gasolina extra, pois você entrará em uma zona extremamente árida e pouco povoada. Eu gostaria muito de ter conhecido essa região, que tem muitos salares e paisagens incríveis, mas pela falta de tempo acabei optando por ir para San Antonio e depois voltar para Salta. Leia aqui o roteiro completo

Aliás, ainda sobre Tolar Grande, acredito que a melhor maneira de conhecer a região é indo com algum dos passeios oferecidos pelas agências de viagem. Porém, esteja preparado para preços salgados.

Se você está na Ruta 40 em direção a San Pedro de Atacama, a cidade também é uma boa opção de parada, pois está no meio do caminho para lá.

Ah! Acho válido citar o Tren a las Nubes, que é uma das atrações principais de Salta, um trem que parte de uma altura de 1200m de altitude e alcança 4500m percorrendo o interior da província de Salta. Há viagens partindo de Salta três vezes na semana, passando por pequenos povoados, lindas paisagens andinas e o famoso Viaducto La Polvorilla. Saiba mais aqui.

Onde se hospedar

No quarto dia de viagem me hospedei em San Antonio de los Cobres, no Hotel de las Nubes. O hotel se destaca em meio às construções simples da cidade. Com estrutura excelente, especialmente para a cidade, ele recebe seus hóspedes com um ambiente climatizado e perfeito para fugir do frio que faz do lado de fora.

Hotel de las Nubes

O quarto é simples, mas muito aconchegante. Apesar de não estar 100% em termos de conservação, a cama é confortável e o banho é bem quentinho. O atendimento foi excelente e fomos muito bem recebidos pelo Sr. Domingo, um senhor muito simpático e solícito. As opções de jantar são poucas e o menu é um pouco caro, mas vale a pena para não ter que sair e enfrentar o frio que faz do lado de fora. É definitivamente a melhor opção da cidade.

Hotel San Antonio de los Cobres

Hotel San Antonio de los Cobres

Onde se hospedar san antonio de los cobres

Informações úteis

– Alugamos o carro no site RentCars e funcionou super bem! Fizemos a comparação de preços entre as locadoras no site e alugamos por lá mesmo. Rápido e prático!

– Para vocês se localizarem, sinalizei no mapa Salta, nossa cidade base no norte argentino, a cidade que passamos a noite, Purmamarca, e nosso roteiro do dia: Cuesta de Lipan, Salinas Grandes e San Antonio de los Cobres. (clique no marcador azul para ver o nome das localidades)

– Sempre que encontrar um posto de gasolina, encha o tanque, pois não se sabe quando vai encontrar outro.

– O ideal é andar com dinheiro em espécie por lá (pesos argentinos), pois não vimos muitas casas de câmbio e bancos para sacar dinheiro.

– Caso você não se sinta muito a vontade de viajar de carro por lá ou não seja possível fazer a viagem desta maneira, você pode encontrar passeios saindo de Salta diariamente com este percurso que dá para fazer em um dia. Geralmente o passeio sai bem cedo de Salta, passa por San Antonio de los Cobres, Salinas Grandes e Purmamarca, voltando para Salta no anoitecer.

Veja o roteiro completo!

Roadtrip pelo Norte Argentino [Dia 1]: Cafayate, Quebrada de las Flechas e Quebrada de las Conchas

Roadtrip pelo Norte Argentino [Dia 2]: Maimará, Tilcara, Humahuaca e o Hornocal

Roadtrip pelo Norte Argentino [Dia 3]: Purmamarca, Paseo de los Colorados e Cerro Siete Colores

Roadtrip pelo Norte Argentino [Dia 4]: Cuesta del Lipan, Salinas Grandes e San Antonio de los Cobres

Roadtrip pelo Norte Argentino [Dia 5]: Salta

Buy us a coffee (3)