San Andrés, o Caribe a seu alcance

Quem disse que é caro viajar para o Caribe? Diferente da maioria das ilhas localizadas no famoso mar caribenho, San Andrés é um destino econômico e igualmente paradisíaco. A ilha é a maior do arquipélogo de San Andrés e localiza-se na Província de Santa Catalina, na Colômbia, próximo à costa da Nicarágua. Descubra neste post tudo o que você precisa saber para planejar sua viagem para San Andrés: onde fica, documentos necessários, onde se hospedar, o que conhecer, melhores passeios, etc.

San Andres Colombia

Ficha técnica ~ 10 dias em San Andrés

Como chegar

Não existem voos diretos. Como os cruzeiros não são comuns, voar é a melhor maneira de chegar a San Andrés. Viajei pela Avianca e fiz conexão em Bogotá e em Lima na ida e só uma conexão em Bogotá na volta. O Aeroporto Gustavo Rojas, em San Andrés, é pequeno, mas tem uma infraestrutura básica para o passageiro

Empresa contratada

Todos os passeios foram feitos por conta própria ou fechados com empresas locais na hora, que eu não conhecia. No porto principal da cidade tem várias empresas que fecham passeios na hora.

Valor

Gastos em torno de R$150 a R$ 200 por dia para gastos básicos como comida, hospedagem e passeios

Época da visita

Julho/2014

Tipo de viagem

Praia com amigas

mergulho

Com pouco mais de 90 mil habitantes, a ilha tem uma vida agitada embalada ao contagiante ritmo da salsa e do reggaeton, altas temperaturas o ano todo, paisagens surpreendentes e um ótimo custo-benefício, principalmente para os padrões brasileiros. Também é conhecida por ter um dos melhores pontos de mergulho do mundo.

Não por acaso San Andrés é conhecida pelo mar de sete cores. Embora pareça frase de efeito, a água cristalina realmente varia em incríveis tonalidades de azul e verde, compondo um cenário deslumbrante que pode ser admirado antes mesmo de pisar em terra firme.

san-andres-do-alto
San Andrés vista do avião

No entanto, ao caminhar pela ruas da cidade é nítido contraste com a beleza encantadora das praias. A área urbana é muito humilde, mal conservada e carece de infraestrutura básica. A maioria dos habitantes não tem renda fixa ou emprego formal, vivem às custas do turismo e ainda sofrem com a escassez de água, sobretudo nas áreas centrais e costeiras, distantes da zona turística. A água é racionada, distribuída e vendida por caminhões das áreas centrais para o restante da ilha e os hotéis e estabelecimentos turísticos têm prioridade na hora do abastecimento.

Mas, aos poucos, a ilha vem tentando suprir essa carência do recurso hídrico e tem recebido um número crescente de turistas, em parte devido aos baixos custos e promoções de passagens divulgadas no Melhores Destinos. Viajei em julho de 2014 com duas amigas e ficamos encantadas com a beleza das praias, a irreverência do povo, a rica cultura e o estilo de vida relax.

beira-mar

Quando ir?

Em San Andrés, as temperaturas são altas em qualquer estação do ano, cerca de 27º C, em média. Viajamos em julho, o clima estava bem quente e, praticamente, não pegamos chuva. O tempo lá é um tanto instável, alguns dias amanheceram fechados e, após uma chuvinha de menos de 5 min, o sol veio com força (Alô, protetor!). Para não estragar suas férias, opte por viajar em dezembro, janeiro, julho ou agosto que são os meses com menor incidência de chuvas.

west-view-2

Visto e Documentação

Os brasileiros que ficarem menos de 90 dias não precisam de visto e podem embarcar no país com passaporte ou identidade, emitida há menos de 10 anos.

Vacinas

Antes de viajar li que era obrigatório tomar a vacina de febre amarela e hepatite A e B, mas eles não exigiram nenhum comprovante na entrada de San Andrés. Por via das dúvidas, é sempre bom ir vacinado e levar o comprovante.

O que você não pode deixar de conhecer

West view

Achei o lugar mais incrível da ilha. Com tobogã, trampolim, água esverdeada com muitos peixinhos, dá para ficar o dia inteiro ali mergulhando de snorkel. Gostamos tanto que fomos duas vezes! Não deixe de fazer o passeio do Aquanautas, um mergulho feito com um Escafrando (um capacete grande de mergulhador com ar oxigênio que te deixa parecido com um astronauta) que permite andar sobre as areias do fundo do mar e ver centenas de peixes. É ideal para quem nunca mergulhou.

West View Mergulho San Andres

Mergulho Aquanautas San Andres

Hojo Soplador

Bem pertinho de West View, está o Hojo Soplador, uma espécie de fenda entre as pedras que solta um vento de acordo com o balanço das ondas do mar. Ali em frente, tem uma lojinha de souvenir que vende chaveirinhos, canetinhas e outras lembranças ótimas para dar de presente. Ali, comprei também uma autêntica bolsa colombiana, mas depois descobri que elas são mais baratas em algumas lojas da Peatonal, no Centro.

Dica: como tudo em San Andrés, pechinche muito! Nunca aceite o primeiro preço que é dado.

Acuario

As melhores fotos da viagem fiz nessa ilha.Você chega lá de barco, saindo da Casa da Cultura (onde fica o porto principal de San Andrés), e a travessia dura, aproximadamente, 15 minutos. Todo dia há diversos barqueiros que oferecem esse passeio no porto. Na ilha você encontra estrelas-do-mar, raias, ouriços e muitos peixeis em águas cristalinas. Imperdível!

Ilha Acuario San Andres

Johnny Cay

É uma pequena ilha localizada em frente à Peatonal e um dos passeios mais procurados pelos turistas. Formada por pedras e piscinas naturais, dá para conhecer a ilha toda à pé e se deliciar nas sombras dos enormes coqueiros. Há muitas barraquinhas que cobram pelo aluguel de cadeiras e guarda-sol, mas os preços não são abusivos. Os passeios saem da Casa da Cultura, no centro da ilha.

Ilha Johnny Cay San Andres

Peatonal

É o centro comercial de San Andrés. Na Peatonal você encontra de tudo um pouco: bares, restaurantes, portos de onde saem passeios para ilhas próximas, aluguel de bicicletas, carrinhos de golfe (uma ótima opção de transporte na ilha), bancos, casas de câmbio e diversas lojas. Além de uma belíssima praia onde dá para fazer massagem, terapia dos peixes (quando os peixinhos comem as peles mortas dos pés) e relaxar sob a sombra de coqueiros.

Peatonal San Andres

Andar de bike pela ilha

Foi um dos meus passeios prediletos! Percorremos metade da ilha de bike, confesso que foi cansativo, mas o visual compensa qualquer esforço. Vale a pena dar uma paradinha nas praias de San Luís, bairro que margeia a costa leste da ilha e que abriga as praias com águas mais cristalinas de San Andrés.

Passeio bicileta San Andres

Mergulho com cilindro

Banhada pelo mar do Caribe, San Andrés tem a terceira maior barreira de corais do mundo, perfeito para fazer mergulho. Conhecemos o instrutor Henry na Casa da Cultura, de onde saem os principais passeios pela ilha, e ele foi superatencioso e paciente. Como nunca tínhamos mergulhado antes, estávamos um pouco apreensivas. O mergulho foi ótimo, deu para ver uma enorme variedade de peixes e animais marinhos. Uma experiência única!

Mergulho San Andres

La Providencia e Santa Catalina

Duas bucólicas ilhas que também compõem o arquipélago de San Andrés e encantam os turistas pelo charme, vegetação nativa e tranquilidade.

Santa Catalina San Andres
“Puente de los Enamorados”, em Santa Calatina

Para chegar nas ilhas, obrigatoriamente tem que passar por San Andrés e há duas opções de transporte:

– Catamarã: fui e não recomendo. Embora o barco seja grande e com ar condicionado, balança muito. Fizemos o percuso em 5h (me falaram que era em torno de 3h) e a viagem de ida foi extremamente desconfortável. Tive que tomar um remédio e dormir para não passar mal. Se quiser economizar custos, use o catamarã apenas na volta, pois a viagem é mais tranquila.

– Avião: melhor opção de transporte. A desvantagem é o preço (o dobro do catamarã) e que o avião pequeninho não inspira muita confiança, pelo menos para mim. A passagem pode ser comprada diretamente nas agências locais e saem voos todos os dias.

Fiz um bate e volta, mas não tivemos tempo de conhecer praticamente nada devido ao tempo demorado da travessia. Ficamos apenas na Ilha de Santa Catalina, onde demos um rápido mergulho de mar, e tiramos uma foto na famosa Puente de los Enamorados. Minha sugestão é ficar pelo menos 1 dia para conhecer bem as ilhas. Há passeios de táxi ou de cavalo para conhecer as praias de lá.

puente-de-los-enamorados

Coco Loco

A boate mais famosa da ilha. Quando fui, a entrada era gratuita aos domingos. Vale muito à pena ir para ver como se dança salsa e reggaeton e conhecer toda a animação de uma night tipicamente caribenha.

Onde comer?

Na hora de pedir sua refeição não se assuste se o almoço atrasar. O ritmo é completamente diferente do nosso e uma refeição pode demorar até 3h para ser servida. Experimente o delicioso arroz com coco, patocones (banana frita), fruta pão, além dos frutos do mar. Para acompanhar, cerveja Aguila e o refrigerante Colombiana.

aguila

Almoçamos no El Rincón de Lagosta, um delicioso restaurante próximo a West View, e jantamos no Cafe e Cafe, uma mistura de café, pizzaria e restaurante no centro de San Andrés. Não sou muito fã de fast food, mas encontramos um ótimo chamado El Coral, com opções saudáveis, wraps e sanduíches em que o pão pode ser substituído por alface.

Onde ficar?

Ficamos no Hostel El Viajero, excelente custo-benefício. As recepcionistas são muito atenciosas e você pode reservar todos os passeios na recepção. Além disso, é uma ótima chance de conhecer gente de todas as partes do mundo, tem café da manha (simples e sem muita variedade, porém suficiente) e ar condicionado nos quartos. À noite, tem várias festinhas no Hostel, aula de Salsa e uma vibe muito boa. Além disso, fica no centro de San Andrés e você pode ir para a maioria dos pontos turísticos à pé.

el-viajeiro
Final da Copa do Mundo de 2014 no Hostel El Viajeiro: Alemanha x Argentina

Quanto custou a viagem?

Foram 10 dias de viagem e, no total, gastei R$ 3.000,00, incluindo hospedagem, alimentação, transporte, passeios, souveniers e algumas comprinhas. Cada viajante tem um estilo próprio, eu, por exemplo, costumo priorizar passeios a restaurantes e compras. No entanto, não me privei de ir a bons restaurantes (só não ia todo dia) e nem de fazer umas comprinhas. Colômbia realmente é um destino em conta.

pesos

O melhor é trocar reais por dólares no Brasil e dólares por pesos no aeroporto de Bogotá. Em San Andres a melhor cotação é no Western Union ou no Banco da Colombia. Não leve reais! Na ilha, você só consegue trocar reais no aeroporto, uns 15 minutos andando da Casa de La Cultura.

Compras

Há muitas esmeraldas para todos os gostos e bolsos a preços muito baratos (não sei se são de verdade), pérolas (muitos ambulantes vendendo baratinho na Playa Peatonal) e bolsas artesanais de Aguarilla (achei lindas!). Eletrônicos também dizem que é bom, olhamos os preços de umas câmeras e pareceu valer a pena, mas não compramos.

Não deixe de ir no La Riviera, uma espécie de Duty Free. A ilha é zona duty free mas achamos que valeu mais a pena comprar chocolates, maquiagem e outros artigos no Duty Free de Bogotá, cuja variedade era bem maior e o melhor preço disparado!

Dicas gerais

O melhor transporte  para percorrer a ilha é o carrinho de golfe. O aluguel é por dia e vale à pena pechincar para conseguir um descontinho. Outra dica é comprar seu próprio Snorkel e um sapato para andar nos corais (fundamental para não machucar os pés durante os mergulhos). Apesar de quase todos os passeios oferecem aluguel do sapato e do snorkel, fica mais em conta comprar antes. Próximo à Casa da Cultura há várias lojas que vendem.

carrinho-de-golfe

Extra

Quer mais dicas sobre esse paraíso do Caribe? Leia o post que a Amanda, do blog Prefiro Viajar escreveu contando sobre seu roteiro de 4 dias em San Andres. É só clicar aqui!