gondwana

Gondwana Game Reserve: Safári imperdível próximo a Cape Town

Planejando uma viagem para a África do Sul? Então você não pode deixar de reservar alguns dias de safari no seu roteiro. É um passeio mágico e único!

Nesse post você vai conhecer o Gondwana Game Reserve, uma reserva privada com hospedagens incríveis e safáris diários, localizado há 3h de Cape Town. Um ótima alternativa para quem não quer se deslocar até o Kruger National Park e está a procura de um passeio mais sofisticado e privativo. Confira!

Gondwana Game Reserve

O Gondwana Game Reserve é uma reserva privada, com 11.000 hectares e paisagens de tirar o fôlego! Se diferencia de outras reservas por ser privado, ou seja, apenas os hóspedes podem fazer safaris por lá, acompanhados de guias excelentes, à procura de animais selvagens.

Em parques nacionais como o Kruger, qualquer um pode entrar com o seu próprio carro e percorrer as estradas, com a limitação de ver somente os animais que estiverem próximos da pista. No Gondwana, você terá a possibilidade de sair da estrada, fazendo caminhos alternativos e assim chegando mais perto dos animais.

Se você tiver sorte, será possível ver os Big 5, além de outros animais selvagens e espécies diferentes de plantas e aves. As acomodações, todo o conforto e preocupação com o hóspede completam a experiência de um safári inesquecível.

O Gondwana Game Reserve tem uma preocupação enorme com a natureza e com espécies em extinção, ajudando a conservá-las. Além disso, a reserva tenta diminuir o seu impacto na natureza e dá preferência para produtores locais, ajudando a infra-estrutura da região.

Acomodações

Você adora estar perto da natureza, mas não abre mão de conforto e luxo? Então continua lendo para se apaixonar pelo Gondwana Game Reserve <3

Há acomodação para todos os estilos: tendas, suítes ou casas. Se você for do tipo aventureiro, aposte nas tendas. Se vier acompanhado, em uma vibe mais romântica, vá de suíte. Se vier com a família ou mais um casal de amigos, aproveite as casas incríveis! Com certeza terá a opção perfeita para o seu tipo de viagem.

Hospedagem no Bush Villas

Chegamos no Gondwana Game Reserve por volta das 15h30, bem a tempo de fazer o primeiro safári, às 16h. Foram duas noites curtindo esse lugar único com todo conforto!

Por conta da baixa temporada (viajamos em junho de 2017), estavam fazendo manutenção nas suítes, chamadas de “Kwena Lodge”. Então, ficamos hospedados em uma das 12 casas espalhadas pela reserva. Era a casa número 11, e ela parecia um sonho. É sério! Era difícil acreditar que tínhamos aquela casa inteira (eram 4 quartos, acomodava até 8 pessoas!) no meio da savana africana só pra gente.

Foram duas noites curtindo um pouco da casa entre um safari e outro. Os quartos eram amplos, confortáveis, todos com banheiro – e banheira! A cozinha era ótima para uma família, toda equipada e arrumadinha. Tinha chá, café e uns biscoitinhos de cortesia.

Faça a sua reserva através do Booking!

A decoração era linda, no melhor estilo africano. A sala enorme, com portas de vidro e sofás confortáveis era super convidativa para passar a tarde toda por ali observando a paisagem.

No segundo andar havia um deck com aquele visual infinito para a savana. Muito verde, muitas montanhas e um céu azul sem igual.

Brincamos bastante com o drone e, a cada cena, parecia que estávamos dentro de um filme. As casas são super privadas, então parecia realmente que só tinha a gente ali no meio de toda aquela natureza.

Apesar de ser uma casa, tinha serviço de quarto, como de hotel. Tudo estava sempre arrumadinho e limpo, e eles ainda preparavam a cama pra gente dormir, com um chocolatinho de boa noite!

Kwena Lodge

Apesar de ter AMADO ficar na casa, acredito que os lodges também tem o seu charme e são mais aconchegantes para um casal. Quero muito voltar lá para me hospedar no Kwena Lodge, que lembra muito uma casa de passarinho e fica na beira de uma piscina linda de borda infinita. Deve ser ótimo para aproveitar durante o verão!

Foto: divulgação

Na área onde estão os lodges podem aparecer animais selvagens a qualquer momento. Inclusive, durante um dos games, vimos uma família de elefantes pertinho dali. Já imaginou acordar e dar de cara com um leão?

Refeições

Todas as refeições são incluídas na hospedagem – até porquê, não tem nada ali por perto e não teríamos a mesma experiência se tivéssemos que ir até a cidade mais próxima para comer.

O café da manhã, o almoço, o chá da tarde e o jantar (sim, isso tudo!) eram servidos na sede do Gondwana, uma casa enorme que fica perto do Bush Villa (onde estão as casas). Estávamos de carro e levávamos uns 5 minutos até lá.

O café da manhã era servido na mesa, com opções de frutas e pães fresquinhos. Depois, podíamos escolher algumas opções do menu, que mudava todos os dias. Pedi um Egg Benedict que estava divino, e no outro dia, cogumelos, ovos e bacon, acompanhados de um Capuccino.

Todos as refeições do Gondwana Game Reserve são feitas a partir de ingredientes frescos e locais, buscando trazer sabores diferenciados. No almoço as escolhas eram mais leves – uma massa recheada com ricota e espinafre e um frango recheado com cranberry. Tudo sempre gostoso e caprichado!

O jantar era simplesmente sem palavras, com entrada, prato principal e sobremesa. Na primeira noite, pedimos uma sopa de legumes de entrada e havia a opção de lagosta com camarões e cuscuz. Pensa em um prato divino e multiplica por 10!  Toda a experiência foi sensacional!

Como eu falei, todas as refeições estão incluídas no valor da diária. Ou seja, você não paga apenas pela hospedagem, mas por toda a experiência dentro de uma reserva privada, de qualidade e atendimento excelente.

O Safári

Eu estava cheia de expectativas para fazer o safári, já que desde que comecei a pesquisar dicas sobre a África do Sul vi muitos outros blogs dizendo que era imperdível. Nunca esteve no topo da minha lista fazer um safári, mas estava animada.

Para vocês entenderem melhor, são sempre dois games (nome dado para cada “saída” de carro, em busca dos animais), um às 7h, durante o nascer do sol, e um às 16h, durante o pôr do sol. São os horários que os animais se movimentam em busca de água e comida.

Cada game dura aproximadamente 2h, e os hóspedes estarão sempre acompanhados do guia, que é também o motorista.

Como falei, chegamos no Gondwana às 15h30, bem na hora do segundo safári do dia, que acontece às 16h. Estacionamos o nosso carro na sede e fomos nos preparar para o game. Fomos em junho, no inverno, e nos alertaram que faz muito frio durante o safári, já que o carro é todo aberto e venta bastante!! Dito e feito: que frio que fazia!

Seguimos com a nossa guia em busca dos Big 5 – leão, leopardo, elefante, rinoceronte e búfalo. Eles são chamados assim pois são os animais mais difíceis de serem capturados pelo homem.

Durante o safári comecei a perceber que o nome “game” realmente faz sentido: a gente se sentia dentro de um jogo, em busca dos animais. A guia ficava nos criando expectativas toda hora, dizendo que o leão havia passado por ali, que os hipopótamos deviam estar no lago ali por perto e que havia uma linda família de elefantes. Isso foi me deixando muito animada e ansiosa para encontrar os animais!

Os primeiros animais que vimos foram as zebras e as ímpalas. Depois, encontramos uma família de rinocerontes – a mãe, o pai e o filho. Que coisa mais linda! Ficamos um tempão só observando eles comendo o matinho, enquanto a guia nos contava várias curiosidades.

Os rinocerontes estão com sérios problemas na África, com chances de entrarem em extinção. Isso porquê os asiáticos acreditam que o chifre do rinoceronte tem poderem afrodisíacos e medicinais, como por exemplo, de curar o câncer. Por causa dessa crença absurda, caçadores matam os rinocerontes ao arrancarem seu chifre, e vendem por milhares de dólares o kilo. Triste, né? =/

Lá no Gondwana tem um carro branco que fica vigiando os rinocerontes o dia inteiro, para evitar uma tragédia. Fiquei bem triste de saber disso e rezo para que essas pessoas malucas parem de matar os animais a troco de nada.

Pouco tempo depois nos deparamos com uma família de elefantes. Outro momento lindo e emocionante do nosso game! Como eles são enormes e lindos!!! Dava vontade de sair do carro e ir correndo abraçar um deles – mas nesse safari isso não é possível, já que são animais selvagens, soltos no seu habitat.

Depois, ficamos um tempo procurando o leão, e não foi dessa vez que o vimos. Esses felinos dormem 22h por dia, e usam as outras 2h para caçar e comer. É difícil de vê-los, e lá na reserva não tem muitos. Uma pena!

Nos outros 3 games que fizemos, pudemos ver uma família de rinocerontes, girafas, búfalos, um bicho muito estranho que se chama wilderness blue, muitas aves, ímpalas, veados e zebras. A hora do nascer do sol e do pôr do sol também eram um grande atrativo, já que céu ficava colorido, deixando o momento ainda mais especial.

Com certeza foi uma experiência única e agora indico para todo mundo! Acho que todos devem fazer safari uma vez na vida e sentir como é especial ver os animais livres, com a sua família, na paz na natureza.

Gondwana Game Reserve x Safáris no Kruger National Park

Essa foi uma dúvida enorme que eu tive quando comecei a planejar o meu roteiro e muita gente já me pediu opinião sobre qual safári fazer pelo instagram.

O Kruger National Park é uma reserva enorme, a mais famosa para fazer safaris na África do Sul. A minha primeira ideia era ir par lá, mas estava difícil de encaixar no meu roteiro de 15 dias, já que eu queria muito fazer a Garden Route também.

O Kruger fica há 7h de carro de Joanesburgo e 2h30 de avião. Porém, eu só encontrei passagem cara e não queria perder praticamente um dia inteiro de deslocamento até lá. Outra coisa que me desmotivou foram os preços – além do gasto para chegar até lá, os hotéis que eu tinha interesse eram bem caros (junho é alta temporada no Kruger, talvez por isso os preços altos).

Comecei então a ver outras opções de safaris próximos a Cape Town, e foi aí que me deparei com o Gondwana no blog The Blonde Abroad. Ela tinha ido recentemente e eu me apaixonei pelas fotos e por tudo que ela falou sobre o lugar.

O Gondwana Game Reserve fica há 20 minutos de Mossel Bay, que é a primeira cidade da Garden Route. Achei a solução perfeita, pois depois do safari, segui para as outras cidades da Garden Route, evitando hooras de deslocamento.

Como eu não fui ao Kruger, não posso falar se é melhor ou pior. O que posso dizer é que o Gondwana foi uma experiência incrível e inesquecível – a única coisa que eu tenho a reclamar é de não ter visto o leão, mas isso poderia ter acontecido no Kruger também.

Acho que você deve fazer escolhas dentro do seu orçamento e do seu tempo disponível. Se tiver mais tempo, vá ao Kruger sim! Se tiver pouco tempo e quiser fazer a Garden Route, eu achei uma alternativa incrível ir no Gondwana.

Próximo da Garden Route existem outras reservas também:

Também vou deixar aqui algumas dicas de safaris no Kruger. Pesquisei muita coisa antes de definir o meu roteiro, então deixo aqui alguns nomes, mas lembre-se de que não estive em nenhum deles, ok?

  • Kapama [é uma reserva privada, próxima do Kruger, com vários tipos de lodges]
  • Skukuza [tipo um acampamento. bem mais em conta!]
  • Singita Lebombo [outra reserva privada, próxima do Kruger]

Mais informações

Como chegar no Gondwana Game Reserve

Alugamos um carro no nosso último dia de Cape Town para começar a roadtrip. Seguimos primeiro para Stellenbosch (veja aqui o post com dicas de vínícolas) e ficamos duas noites por lá. No terceiro dia, fomos direto para o Gondwana. Foram mais ou menos 3h de viagem até lá, passando uma serra, com muitas curvas, e depois uma estrada bem reta e tranquila.

Usamos o Waze e o Google Maps a todo momento, e conseguimos chegar sem problema algum nos nossos destinos. Uma boa dica é ir com chip de internet, para poder usar o GPS. Somos parceiras do EasySim 4 U e sempre o recomendamos. Usei durante os meus 15 dias na África do Sul e funcionou perfeitamente! Veja aqui mais informações para adquirir o seu chip internacional.

Achei imprescindível alugar um carro para ir de Cape Town até o safari e para continuar fazendo a roadtrip pela Garden Route. Acabamos usando bastante o carro dentro do Gondwana, já que nossa casa ficava há uns 7 minutos da sede da reserva. Eles até oferecem o serviço de transfer, mas cobram a mais por isso e é um pouco chato ter que ficar marcando horário para tudo.

Com os amigos Indi e André

Alugamos o carro com a empresa Sixt – que na África do Sul se chama First Car Rental – e foi super tranquilo. O carro era ótimo para estrada!

Melhor época

É um pouco complicado decidir qual é a melhor época para visitar a África do Sul. Nesse post aqui eu falo sobre as estações do ano em geral, então vale a pena conferir.

Para visitar o Gondwana, acredito que qualquer época proporcione uma experiência única. Eu fui agora, eu Junho, na baixa temporada, e peguei dias maravilhosos, não muito frios (apenas durante o safari) e consegui ver quase todos os animais.

Dizem que no inverno é a melhor época para ver os animais, já que a vegetação fica mais baixa. Porém, durante o verão, a reserva fica mais cheia e animada, além de dar para aproveitar bastante as piscinas.

Acho que a melhor época é quando você pode ir =)

Quanto custa se hospedar no Gondwana Game Reserve?

Barato não é, mas eu achei que o preço é super ok por tudo o que está incluído no valor da diária.

Na baixa temporada, os preços começam em R2925 por pessoa. Convertendo, fica em torno de R$730. Já na alta temporada, os preços são mais altos, começando em R4.195, aproximadamente R$1.050 por pessoa.

Temos que levar em consideração que tudo está incluído: hospedagem de luxo, café da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e dois safáris por dia. As bebidas são a parte, e qualquer outro serviço, como o spa, também.

Espero que vocês tenham gostado do meu relato e que inspire a comprar a primeira passagem pra África do Sul agora mesmo, para viver essa experiência incrível e inesquecível que é fazer um safári. <3