Juma Amazon Lodge: nossa experiência em um hotel de selva na Amazônia

Se você vai visitar a Amazônia, não poderá deixar de viver a experiência de se hospedar em um Hotel de Selva. Escolhemos o Juma Amazon Lodge com sua estrutura construída em cima dos palafitas, no meio da floresta, para nos sentirmos parte de toda aquela natureza. Entre passeios, refeições típicas e animais selvagens, vivemos dias inesquecíveis.

Nesse post eu te conto como é se hospedar no Juma Amazon Lodge. Vem conferir e se encantar!

Juma Amazon Lodge

A paisagem rústica, o contato com a natureza e a beleza ao seu redor fazem do Juma Amazon Lodge um lugar único.

Construído em terra firme sobre palafitas, método necessário para atender a época da cheia do rio, ele é totalmente integrado à Floresta Amazônica. Os materiais usados na construção são abundantes da região, criteriosamente extraído da própria floresta, usando o mesmo processo utilizado pelas ribeirinhas em suas casas.

Manaus
Estrutura de palafitas do Juma Amazon Lodge. Na época da cheia do rio a água chega lá em cima!

Várias ação são pensadas para minimizar ao máximo o impacto no meio ambiente, como energia solar, aquecimento solar de água, sistema de tratamento de esgoto, reciclagem, palestras educacionais e mais. Se você ficou interessado em saber mais, acesse o site do Juma!

Onde fica

O Juma Amazon Lodge está localizado há mais ou menos 100km da cidade de Manaus, em uma área preservada de 7 mil hectares.

Como chegar

Você não vai precisar se preocupar – o transporte está incluído no preço do pacote do Juma. A equipe entrará em contato com você para organizar os transfers. Eles poderão te pegar no seu hotel, no aeroporto ou qualquer lugar de Manaus, sem custos adicionais.

O trajeto é um pouco longo, com duração de 3h. O trecho 1 demora 45 minutos partindo em uma lancha do Porto de Manaus até a Vila do Careiro. Em seguida, pegamos uma van e andamos mais 1h por uma estradinha com cara de interior (parece que, quando está na época certa, eles fazem uma parada para os hóspedes verem vitórias régias). O último trecho é de lancha novamente, percorrendo as águas do Rio Maçarico até chegar no Rio Juma.

O trajeto é um pouco cansativo, mas bem bonito e interessante! E o melhor é não precisar se preocupar com nada, tudo muito bem organizado e equipe simpática e prestativa!

Faça a sua reserva pelo Booking!

Acomodações

O Juma possui 21 bangalôs, sendo 8 com vista para a floresta, 12 com vista para o rio e um panorâmico.

Os bangalôs com vista para a floresta ficam próximos da recepção e do restaurante. Parecem mais umas casinhas, bem pertinho umas das outras. Acredito que é uma boa opção para famílias que vão com crianças ou idosos que querem estar mais perto da “central” do hotel, caso precisem de alguma coisa.

Nosso bangalô no Juma!

Já os bangalôs com vista para o rio ficam mais afastados e foram construídos com o intuito de se integrarem à natureza. O nosso era o número 17 e tínhamos que fazer uma boa caminhada para chegar no restaurante. O legal desses bangalôs é que eles ficam super isolados, são bem afastados uns dos outros.

Juma Amazon Lodge
Apreciando a natureza maravilhosa do Juma Amazon Lodge

E o bangalô panorâmico é um luxo, com 32m² de área! Ele fica não tão longe do restaurante, mas é super espaçoso, privativo e diferente. Tem uma porta própria, no meio dos decks (veja a foto abaixo) e até um chuveiro para se refrescar do lado de fora. Sem contar a varanda panorâmica com visual completo para o rio. Deve ser uma experiência incrível!

Juma Amazon Lodge
Na porta da Suíte Panorâmica!

Pode esquecer televisão, frigobar, ar condicionado e secador. Se hospedar no Juma Amazon Lodge significa estar 100% em contato com a natureza e respeita-la. Nada de secador ou ar condicionado, ali a energia é guardada apenas para o necessário. E você também não precisará de uma TV, podendo ver milhões de estrelas antes de dormir.

Área de Lazer

Além dos passeios propostos pelo hotel (leia abaixo), há uma boa estrutura de lazer para entreter os hóspedes:

Piscina de Rio

A piscina do Juma Amazon Lodge é super autêntica, possibilitando a interação dos hóspedes com o rio. Isso porquê não é muito seguro mergulhar no rio – há jacarés, piranhas, antas… E por aí vai!

Mas calma, isso não quer dizer que você vai mergulhar no rio e vai sair de lá mordido por uma piranha. É claro que os animais tem medo da gente e se afastam, mas tenho certeza que você não vai ficar relaxado durante o seu mergulho, né?

Juma Amazon Lodge
De boa dando um mergulho na Piscina do Juma!

A piscina do Juma é toda cercada por grades, possibilitando aquele mergulho bem tranquilo. Ela está no deck flutuante, que vai acompanhando a altura do rio (há uma variação de 15 metros!). Ou seja: não importa a época que você for, a piscina estará sempre ali para você dar um mergulho especial!

No deck há também espreguiçadeiras onde você pode pegar um sol, ler um livro e apreciar a paisagem linda do Rio Juma!

Redário

O redário é um bangalô bem grande, com várias redes, perfeito para tirar aquele cochilo depois do almoço. Ele fica perto da recepção, mas afastado o suficiente para você ouvir apenas o barulho da natureza. É um lugar maravilhoso para relaxar bastante!

Deck

O deck construído em frente à recepção é um ótimo lugar para sentar e observar a linda paisagem do Rio Juma. Você pode sentar um pouco, pedir boas caipirinhas e trocar ideia com outros hóspedes. Depois do jantar sempre tinha algumas pessoas por ali conversando e curtindo a noite estrelada.

Refeições

Todas as refeições estão incluídas no pacote do Juma Amazon Lodge – até porquê não tem nada ali por perto, o restaurante mais perto deve estar há 3 horas de distância.

Mas não se preocupe: você não vai passar fome e a comida é muito gostosa! No restaurante é servido o café da manhã, o almoço e o jantar. Na recepção, você encontrará um lanchinho simples, com café, chá, bolo e pãeszinhos às 17h, um pouco antes do jantar.

Outra informação importante e legal de ser menciona aqui, é que todas as refeições tem horários certinhos para serem servidas: o café da manhã é de 7h às 8h, o almoço é de 12h às 13h e o jantar de 19h às 20h.

Juma Amazon Lodge
Frutas típicas no café da manhã!

No começo achei que seria ruim ter o tempo tão contadinho assim, mas entendi que isso é necessário para a organização dos passeios e também dos funcionários. Outro ponto super positivo é que, dessa forma, todos os hóspedes e guias almoçam juntos, então é mais uma forma de você se relacionar e conhecer pessoas super legais!

O café da manhã era bem caprichado, com muuitas frutas regionais, suco de frutas, café, chá, pães, bolos, ovo cozinho ou mexido, tapioca feita na hora e até aipim cozido! Que delícia começar o dia assim!

Já o almoço e o jantar eram parecidos, sempre com uma opção de peixe regional (comemos pirarucu e tambaquí!), uma opção de ave, uma de carne, uma massa e salada. Havia sempre suco de frutas e frutas para a sobremesa, além de uma sobremesa especial como pudim de tapioca ou mousse de maracujá.

Achei tudo muuito gostoso e caprichado. o gostinho era de comida de avó, sabe? Feita em casa, com carinho.

Faça a sua reserva pelo Booking!

Passeios

Confesso que achei que seria um pouco entediante ficar hospedada em um hotel de selva, sem televisão e sem internet. Fui preparada com um livro para ler nas horas de tédio e – acredite se quiser – mal encostei nele! A programação do Juma é intensa, não paramos um minuto!

Logo quando chegamos no hotel, junto com outros hóspedes, há alguns guias, que ficarão responsáveis por cada grupo. O nosso guia foi o Norberto, meio peruano, meio brasileiro, filho de índios que ainda moram no meio da floresta. Ele era caladão, na dele, mas dava para ver que ele sabia muito sobre a floresta.

Juma Amazon Lodge
Fazíamos todos os passeios em um barquinho como esse, com capacidade para até 10 pessoas

O Norberto conduziu todos os passeios do nosso grupo, que era comporto por eu e Breno, duas mulheres e um homem alemão (3 amigos que estavam viajando juntos pelo Brasil!) e uma família de brasileiros com dois filhos pequenos, de 2 e 4 anos.

Nos sentimos seguros durante todos os passeios e aproveitamos cada minuto! Abaixo compartilho um pouco dessa experiência com vocês:

Focagem de jacaré

A focagem de jacaré acontece à noite, logo depois do jantar. Saímos em um barquinho com o nosso guia e um ajudante, que comandava o barco. O guia foi na frente com a lanterna, para focar nos jacarés.

O curioso é que, quando a lanterna foca no olho do jacaré, ele fica paralisado. Assim o guia consegue pegá-lo e trazê-lo para dentro do barco para que a gente possa observar. Doido né? Mas eu achei muito muito legal e interessante!

juma amazon lodge
Jacaré de 1,5 metros na mão do nosso guia. Ele era muito forte então precisou ter a boca amarrada. Em seguida, o guia o devolveu para o Rio.

O Breno levou a lanterna dele e também ficávamos focando os jacarés. Era muito doido ver os olhos vermelhos paralisados ao longo das margens do Rio. Sim! Tinham muitos jacarés, por toda parte!

O jacaré que o Norberto pegou tinha 1 metro e pouco. Ele disse que ele era bem forte e precisou de ajuda para segurá-lo. Passamos a mão rapidinho, tiramos umas fotos e ele o devolveu pro Rio. Uma experiência bem legal e com zero perigo!

Pescaria de piranha

Outro passeio bem legal e diferente é a pescaria de Piranhas, peixe super típico da região. O guia Norberto escolheu um lugar bem distante e bonito para pararmos o barco e pescarmos. Ele levou a isca e as varas, e nós ficamos ali brincando.

juma amazon lodge
Pescaria de Piranha no Rio Juma

E fiquem tranquilos, a gente pesca, tira uma foto e devolve os peixinhos pro rio. Ali, no mesmo lugar que paramos para pescar, vimos váários botos nadando livremente. Lindo!

Canoagem

Que delícia foi remar pelo Rio Juma nessa canoa super rústica! O guia foi na frente e nos mostrou várias curiosidades da vegetação, alguns animais como jacarés e também avistamos botos durante o passeio.

Canoagem no Rio Juma / foto: @mountain_drone

Foi muito bom estar tão pertinho da natureza, com aquela paisagem linda do Hotel Juma na frente. As fotos não deixam mentir como era lindo aquele lugar!

Caminhada com picnic na floresta

O passeio mais esperado e também um dos mais interessantes! Eu estava super curiosa para saber como seria esse picnic na floresta – nossa cabeça já vai imaginando mil coisas né? Na minha, por exemplo, vinha aranhas, cobras, sapos… kkk! Mas, nada disso: o passeio foi super organizado e com uma ótima estrutura.

Fomos de barco até um ponto da floresta e de lá seguimos para uma trilha, onde vimos muitas plantas e flores diferentes, paramos nessa árvore enorme e super imponente, conhecemos uma árvore chama de “telefone de índio” por ter o tronco oco, tiramos “leite” da árvore e vimos um sapo venenoso. O guia nos falou que nesse passeio é possível também ver espécies diferentes de macacos, tucanos..! Tem que dar sorte!

Juma Amazon Lodge
Abraçando uma árvore enorme que encontramos na caminhada!

Depois de cansar bastante na caminhada, fomos para um gazebo que pertence ao Juma, e lá, tivemos uma estrutura ótima para almoçar. O outro guia já estava preparando o nosso churrasco de Pirarucu, Tambaquí, linguiça e frango, e estava um cheio delicioso.

Juma Amazon Lodge
Almoço delicios no meio da selva!

Sentamos nos banquinhos e comemos com um vista linda para a floresta. Esse com certeza é um dos passeios maaais imperdíveis que o Juma oferece, não deixe de fazer!

Nicolau e Anita – os macaquinhos do Juma

Se já não bastasse o hotel ser maravilhoso, construído em cima de palafitas, no meio da selva, você ainda tem a oportunidade de conviver durante alguns dias com dois macaquinhos muito gente boa: o Nicolau e a Anita.

Juma Amazon Lodge
Nicolau, o macaquinho mais sapeca da Amazônia!

Eles escolheram morar lá no Juma, já que adoram as frutinhas que ganham do pessoal da cozinha e também adoram o carinho dos hóspedes. Sim, eles são livres pra irem embora quando quiserem, mas parece que se apegaram e vez ou outra você pode encontrar a Anita descansando na rede do seu quarto.

juma amazon lodge
Anita comendo uma uva!

Você com certeza vai encontrá-los na porta do restaurante durante todas as refeições. Eles ficam ali esperando você se distrair pra atacar a sua comida! Falando nisso, é proibido alimentá-los, ta?

Veja também: Manaus – as melhores dicas para planejar a sua viagem

Quando ir

A temperatura na região do Juma Amazon Lodge é sempre quente, devido à proximidade com a Linha do Equador, ficando em torno dos 27 graus.

A região pode ser visita durante todo o ano – e pode ter certeza que você terá uma experiência diferente e verá paisagens inéditas toda vez que for até lá.

Isso porquê o nível do Rio muda bastante durante as estações, que são divididas em duas: Estação da Cheia e Estação da Seca.

A cheia ocorre entre os meses de Março e Agosto, quando o nível da água já está bem alto, chegando aos 15 metros. É a época ideal para visitar os igapós, como são conhecidas as terras inundadas. As palafitas que sustentam o hotel ficam totalmente cobertas pelo rio, deixando a paisagem linda!

Juma Amazon Lodge
Reflexo maravilhoso no Rio Juma

Já a época da seca ocorre entre Setembro e Fevereiro. Nessa época a o nível da água está bem baixinho. Fui em Novembro de 2016 e pude ver as palafitas do hotel totalmente descobertas, algumas ilhas ao longo do rio e muitos animais! É a melhor época para pesca e para a focagem de jacaré.

Na Amazônia chove bastante, como você já deve ter ouvido por aí. Durante os 3 dias que estive no Juma, choveu apenas na última noite, sem atrapalhar nenhum passeio. O nosso guia disse que entre os meses de Dezembro e Fevereiro chove muuito, então a dica é evitar!

Quantos dias

Escolhemos o pacote de 3 noites no Juma, e adoramos! Achamos que foi a escolha certa de dias: pudemos fazer todos os passeios com calma, tivemos um tempinho entre um passeio e outro para descansar e aproveitar mais o hotel e pudemos nos conectar totalmente com a natureza durante esses dias <3

Eles também oferecem pacotes mais curtos, de duas noites e também mais longos, de cinco dias, onde você pode dormir no meio da selva e ter uma experiência ainda mais selvagem.

Quanto custa se hospedar no Juma Amazon Lodge?

Por toda a experiência que o Juma proporciona e levando em consideração tudo o que está incluído no pacote, não é caro. Só é preciso de um pouco de planejamento!

O valor da diária por pessoa custa em média R$1.300 reais para ficar no bangalô com cama de casal, e tudo está incluído: o transfer, todas as refeições e todos os passeios com guia. Apenas bebida alcoolica fica de fora do seu pacote.

_

Espero que vocês tenham gostado do meu relato e que inspire a comprar a primeira passagem para Manaus agora mesmo, para viver essa experiência incrível e inesquecível que é se hospedar no meio da selva <3

Faça aqui sua reserva.