Como chegar em Bariloche

Bariloche: tudo o que você precisa saber para a sua viagem

Bariloche é o destino queridinho para nós, brasileiros, quando o assunto é neve! E se você está procurando informações para planejar a sua viagem pra lá, está no post certo. Veja como chegar em Bariloche, onde se hospedar, os principais passeios e muitas dicas importantíssimas para uma viagem perfeita!

como chegar em bariloche
Visual lindo do lago Nahuel Huapi!

Onde fica

San Carlos de Bariloche, mais conhecida como Bariloche, é uma cidade na Patagônia Argentina, há 1.600km de Buenos Aires ou 2h de avião. Rodeada por lagos e montanhas, é a queridinha dos brasileiros quando o assunto é viagem para a neve.

Como chegar em Bariloche

Avião

O jeito mais fácil e comum para chegar em Bariloche é de avião, com escala em Buenos Aires – já fica a primeira dica: aproveite e faça um stopover para conhecer também a capital!

A LATAM e a Aerolineas Argentinas são as companhias aéreas que fazem o trajeto e tem vôos saindo das principais cidades brasileiras, principalmente no meio do ano, quando o fluxo de aeronaves aumenta, devido à temporada de inverno.

como chegar em bariloche
chegando em Bariloche com esse pôr do sol de presente!

A nossa dica é optar por fazer escala no Aeroparque – aeroporto localizado há mais ou menos 10km do centro de Buenos Aires. Se o tempo de espera for longo, você aproveita para dar uma voltinha na cidade! Já o Ezeiza, o maior aeroporto de Buenos Aires, fica há 30km do centro. Por conta da distância, é arriscado sair e voltar em poucas horas.

Voamos com a LATAM e tivemos uma escala de 5h no Ezeiza. Não saímos pois o tempo estava chuvoso e ficamos com medo de não termos tempo suficiente. Achamos a estrutura do aeroporto bem ruim, com poucas opções de restaurante e lojinhas. Então, se você puder optar pelo Aeroparque, fica a dica!

Carro

Outra opção é encarar a viagem de 18h para fazer o trajeto Buenos Aires – Bariloche. Recomendamos essa opção para quem tem bastante tempo para poder explorar as estradas argentinas e ir parando nas cidades, como Villa la Angostura, San Martin de Los Andes e Esquel.

como chegar em Bariloche
de carro, na Ruta de Los Siete Lagos!

Ônibus

São 22h de estrada que não compensam por conta do tempo perdido. O valor também acaba sendo próximo da passagem de avião – fique de olho em promoções!

Melhor época para conhecer Bariloche

Vai depender do que você quer encontrar em Bariloche: dias lindos de sol, muita natureza e vida ao ar livre ou árvores branquinhas de neve e estações de ski funcionando? Fomos no finalzinho de Julho de 2018 e esse post será sobre a temporada de inverno em Bariloche =)

como chegar em bariloche
tudo branquinho no Piedras Blancas!

A quantidade de neve varia a cada ano – é bom ficar de olho no site do Cerro Catedral para acompanhar a previsão e ter certeza de que encontrará neve por lá.

Normalmente no final de Junho já começa a nevar, e é em Julho que a cidade fica cheia de turistas e muitos grupos escolares, por conta das férias. A alta temporada acontece nas duas semanas do meio de Julho – pode esperar preços mais salgados nos hotéis e nas estações de ski.

Agosto é a nossa sugestão para quem quer pegar preços mais em conta, menos turistas na cidade e neve! Até início de setembro é normal ter neve em Bariloche, mas, repetindo, é bom acompanhar a previsão do tempo para ter certeza e não se decepcionar.

Como montar o seu roteiro para Bariloche

A gente recomenda ficar ao menos 1 semana para ter tempo suficiente de fazer os principais passeios, conhecer a cidade e, claro, esquiar!

Se você tiver mais um tempinho, em 10 dias dá para fazer tudo isso e ainda esticar a viagem para San Martin de Los Andes, uma cidadezinha muito charmosa, que tem uma Estação de Ski incrível, chamada Chapelco. A gente esquiou dois dias por lá e amou a experiência!

como chegar em Bariloche
Lago Lácar, em San Martin de Los Andes

Para ver o nosso roteiro de 10 dias em Bariloche, clique aqui. 

Abaixo, uma lista dos principais passeios para fazer em Bariloche e quanto tempo achamos necessário para cada um:

Cerro Catedral se você quer apenas conhecer, pode separar um dia para subir as montanhas e curtir a neve. Se já esquia ou quer aprender, dois ou três dias é bom!

Piedras Blancas – é uma estação de skibunda! Para se divertir bastante descendo as pistas de neve com o seu trenó, reserve uma manhã ou uma tarde. Cada passe dá direto a 6 descidas, e você gasta em torno de 3h por lá.

Circuito Chico – é um pequeno (chico) circuito com 60km de extensão, que vai beirando o Lago Nahuel Huapi até o famoso Hotel Llao Llao, com vários atrativos pelo caminho. Reserve um dia para esse circuito que passa pelo Cerro Campanário, com visual 360 graus dos lagos de Bariloche e também pelo Cerro Otto, com sua confeitaria giratória. Para fechar com chave de ouro, vá na Cervejaria Patagônia para tomar uma cerveja com um visual e tanto!

como chegar em Bariloche
Visual do Cerro Campanário com direito até à arco íris!

Villa La Angostura – é uma cidade bem pequenininha que fica há 1h de Bariloche. É um passeio super legal para fazer em um dia. Aproveite para passear pelas lojinhas, almoçar em um bom restaurante e curtir as paisagens lindas do caminho.

Cerro Bayo – é a estação de ski da Villa La Angostura. Se você quiser esquiar em um lugar diferente, vale a pena se hospedar por lá!

Noche Nórdica – é um passeio noturno super diferente, que inclui passeio de moto neve + jantar na montanha! Tem duração de 4h e é uma ótima dica para quem busca experiências diferentes!

como chegar em Bariloche
de moto neve durante o passeio Noche Nórdica

Centro Cívico – nada mais é do que uma praça com belas construções de frente para o Lago Nahuel Huapi, no centro de Bariloche. Vale a pena passear por lá e ir até a feirinha de artesanato!

Rua Mitre –  é a rua mais turística de Bariloche. É lá que estão muitas lojinhas de souvenir, de roupas de neve e claro, as famosas lojas de chocolate que fazer a alegria dos turistas. Vale a pena separar 1 dia para andar por ali!

Explorando cidades próximas à Bariloche

Se você puder esticar a viagem, a gente recomenda duas cidades próximas à Bariloche: San Martin de Los Andes e Esquel.

San Martin é uma pequena cidade, de 100 mil habitante, localizada em meio às montanhas e lagos. Lá está a estação Chapelco, que na minha opinião é muito melhor do que o Cerro Catedral. A cidade é super charmosa – construções baixinhas de madeira, bons restaurantes e lojinhas locais. Fica a 180km de Bariloche.

Tivemos a oportunidade de conhecer Esquel no inverno de 2016. Localizada a 280km de Bariloche, a pequena cidade patagônica atrai turistas para o Parque Nacional Los Alerces, com belos lagos que ficam super movimentados principalmente no verão. No inverno, pode ser uma ótima opcão esquiar no Cerro La Hoya, com ótima estrutura para prática de esportes de neve.

Leia também: Esquel, uma pequena cidade para conhecer na Patagônia Argentina (guia completo)

Onde se hospedar em Bariloche

Tivemos duas experiências de hospedagem nessa viagem: um apartamento no Airbnb, no centro da cidade e um quarto de casal em um Apart Hotel, a 6km do centro de Bariloche. Abaixo, veja mais detalhes da nossa experiência:

Apartamento no Airbnb: para os primeiros dias em Bariloche, escolhemos nos hospedar em um apartamento na Rua Moreno, paralela à Rua Mitre, onde está o principal comércio turístico da cidade. Foi ótimo pois ainda estávamos sem carro e pudemos fazer tudo a pé, como ir a bons restaurantes, passear no centro cívico e visitar as lojas de chocolate.

O apartamento tem um bom tamanho, com cama de casal, TV, uma cozinha completa e banheiro. Tivemos uma boa experiência com os donos! Pagamos R$156 na diária, um valor excelente comparado à outros hotéis na região.

Veja aqui o link do apartamento no Airbnb

bariloche
nosso apartamento no centro de Bariloche!

Apart Del Lago: ficamos 4 noites nesse hotel e adoramos a experiência! Ele está mais afastado do centro, a 6km, mas, se você tiver com carro alugado, vale muito a pena se hospedar por lá.

O hotel tem opções de quarto de casal com banheiro e também apartamentos de 2 quartos e cozinha, ideais para uma família. Ele fica em frente ao Lago Nahuel Huapi, um visual lindo que pode ser visto de todos os quartos e também do restaurante!

como chegar em bariloche
o visual do nosso quarto no Apart Del Lago!

Outro ponto alto do hotel é a área de lazer: piscina aquecida interna e externa, sauna e até sala de jogos. O valor da diária varia com a temporada, pagamos R$ 380 no início de Agosto de 2018. Veja aqui o link no Booking!

É melhor se hospedar no Centro de Bariloche?

Depende! Os passeios que você vai fazer na cidade nem sempre são perto do centro. O Cerro Catedral, por exemplo, fica a 20km do centro da cidade e o Cerro Campanário, a 19km. Eu recomendo muito que você alugue um carro para fazer os passeios por conta própria e não precise depender de excursões – acredito que vale mais a pena você ter liberdade com horários e também poder parar onde quiser!

bariloche
comendo um delicioso fondue na Rua Mitre!

A grande vantagem de se hospedar no centro da cidade, na minha opinião, é não precisar dirigir o dia todo e poder ir a pé jantar, fazer compras e ver o movimento da rua, por exemplo. Mas, se você não se importa em dirigir, não vejo problemas em ficar um pouco afastado – até porquê, o valor das diárias são mais caras no centro da cidade!

Como se locomover em Bariloche

Como falei acima, alugar um carro é a melhor opção para se locomover em Bariloche e fazer os principais passeios da cidade. Inclusive, se você tiver tempo, vale muito a pena dirigir até San Martin de Los Andes, passando pela Ruta Los Siete Lagos, que é linda demais, com paisagens de tirar o fôlego!

Foto aérea de um dos lagos da Ruta de Los Siete Lagos! / @mountain_drone

A gente alugou o carro através da Rent Cars, um buscador que te mostra as melhores opções de locadoras de carro em Bariloche. Um carro econômico custa em média R$1.500 reais para uma semana, em agosto, que já é baixa temporada. Para fazer a consulta, clique aqui.

O valor do litro da gasolina é equivalente ao valor do Brasil, talvez um pouquinho mais barato, na casa dos 3,80 (valor de agosto de 2018). Quanto ao GPS, usamos o WAZE no celular mesmo – estávamos com chip de internet da Easysim4U, que a gente sempre recomenda aqui no blog.

Atenção: é importantíssimo alugar correntes para colocar nos pneus do carro, em caso de muita neve nas estradas! A gente acabou não precisando usar nessa viagem, mas, se cair uma nevasca, as estradas ficam muito escorregadias por conta do gelo, e é importante estar com as correntes para a sua segurança.

Seguro viagem

Independente se você está indo para Bariloche para esquiar ou não, é importantíssimo ter o seguro viagem para neve. Em 2010, na primeira vez que estive em Bariloche, fomos no Piedras Blancas, uma estação de “skibunda” e a minha sogra, que nem desceu nas pistas, acabou escorregando no gelo perto da cafeteria e quebrou a costela.

Ela teve que ir no hospital fazer exames, e a sorte é que estava com o seguro viagem correto, para cobrir as despesas.

bariloche seguro viagem
esquiando no Cerro Chapelco!

Se você vai esquiar, é melhor não arriscar! No post Descubra o seguro viagem ideal para praticar esportes na neve você descobre qual é o seguro ideal para viagens de neve.

A gente recomenda o site Seguros Promo, que oferece ótimos preços! Com o código MALADEAVENTURAS você ganha 5% de desconto!

Média de gastos

Abaixo, uma lista com os principais gastos em uma viagem para Bariloche (valores da baixa temporada, início de Julho / final de agosto de 2018):

Passagem aérea: R$1.600 (pela LATAM)
Diária em hotel: R$ 70 (média por pessoa, quarto de casal)
Cerro Catedral: R$ 200 (passe diário)
Aluguel de Ski + capacete: R$100 (por dia)
Piedras Blancas: R$150 (passe com direito a 6 descidas)
Cerro Campanário: R$ 25 (subida de teleférico)
Noche Nórdica: R$650 por pessoa (passeio de moto neve + jantar)
Refeição + vinho: R$ 50 (média por pessoa, em um bom restaurante)
Aluguel de carro: R$ 200 (por dia)
Gasolina: R$ 3,80 o litro

A Argentina não é mais barata igual era antigamente para nós, brasileiros. Os preços se equivalem aos do Brasil – exceto pela comida, que achamos um pouco mais em conta do que em alguns restaurantes daqui. Vinho e chocolate são itens que ainda vale a pena comprar.

Como levar dinheiro para Bariloche

Com o dólar super valorizado do jeito que está, não estava fazendo tanta diferença trocar dólares por pesos ou reais por pesos. Eu acabei levando uma parte em dólar e outra parte em real.

Foi muito fácil conseguir trocar dinheiro na rua principal de Bariloche, a Mitre. Em frente à galerias, você vai ver algumas pessoas oferecendo câmbio – trocamos com eles duas vezes e não tivemos problemas.

A cotação estava 1 real = 6,5 pesos ou 1 dólar = 27,8 pesos.

Muitas lojas da Mitre aceitavam pagamento em real (mas o troco é sempre em pesos!) mas outros lugares como o Cerro Catedral, só aceitam em pesos ou dólares. É bom ter sempre um pouco de pesos com você, pode ser que um lugar ou outro não aceite outras moedas.

Mais informações

  • Vale a pena ficar de olho no site do Cerro Catedral para acompanhar a previsão de neve. Fomos um dia para esquiar e nos deparamos com todas as pistas fechadas, pois não havia neve e estava ventando muito. Para não perder a viagem, vale a pena conferir as condições antes de ir!
  • Invista em bons equipamentos para não passar frio! É muito frio na estação de ski, na cidade, na beira do lago… é bom estar prevenido, com boas roupas, para não estragar a sua viagem. Recomendamos o uso de camisa e calça térmicas, um sapato bem quentinho, meias grossas, gorro, luva…!
  • Bariloche é um ótimo destino para fazer uma viagem romântica em casal, para explorar com a família ou para curtir com os amigos. Tem programação para todo tipo de grupo, com certeza você vai adorar, independente da companhia!

Outros posts que você pode gostar de ler:

Las Leñas: estação de ski próxima a Mendoza

Tudo o que você precisa saber para planejar uma roadtrip pelo Norte Argentino (Salta e Jujuy)

Cerro La Hoya, uma excelente estação de esqui na Argentina como alternativa a Bariloche

Ski para iniciantes: 6 dicas para sua primeira viagem de neve