Jujuy (Argentina): como chegar, onde ficar, passeios e dicas imperdíveis

Se você está buscando viajar para destinos próximos ao Brasil e quer explorar um local rico em cultura e com belezas naturais surpreendentes, que tal saber mais sobre o norte argentino? Jujuy pode ser a opção ideal para a sua próxima viagem. A província tem uma paisagem desértica, com cadeias montanhosas em vários tons de cores, desertos de sal e vilarejos que são uma graça. Nesse post nós daremos todas as dicas de como chegar, onde se hospedar, e o que fazer em Jujuy (Argentina).

Para nós brasileiros, viajar para a Argentina é sempre uma boa opção. A proximidade com o Brasil facilita muito na hora de tirar umas férias, além de que a burocracia de documentos também é mais prática do que para destinos internacionais em outros continentes.

Veja também: Preciso de passaporte para viajar para a Argentina?

O norte argentino, NOA como é conhecido por lá, é cercado por montanhas com formações rochosas que têm passado por transformações geológicas de até 70 milhões de anos.

As paisagens são bem diferentes do que a gente costuma associar à Argentina: é tudo muito árido, os vilarejos em geral com construções em tons de ocre e um visual em geral bem desértico.


Como chegar em Jujuy na Argentina

Decidir a melhor forma de chegar a Jujuy pode depender muito do roteiro que você planejar. Caso a sua viagem seja restrita ao norte argentino, ou se for a primeira parada de uma viagem mais longa pela América do Sul, a melhor forma de chegar é pelo aeroporto de Jujuy (JUJ) ou de Salta (SLA), província vizinha. Uma vez no aeroporto, basta alugar um carro, ou pegar um táxi e ir para o seu hotel.


Nós indicamos usar o RentCars para aluguel de veículos, já que eles fazem um compilado entre as melhores locadoras e te oferecem um ótimo preço.


Um detalhe bem importante é que não há voos que saem direto do Brasil para lá. Normalmente, é preciso fazer escala em Buenos Aires. Há quem saia de ônibus de Buenos Aires até Jujuy, mas é uma viagem só para os fortes, pois são cerca de 20h de estrada.

Como o norte argentino fica bem perto da Bolívia e do Chile, pode ser uma opção interessante buscar opções de voos para cidades por lá. Daí você aproveita para passear pelos países vizinhos, conhecendo lugares como o Salar de Uyuni ou San Pedro de Atacama, e estender seu roteiro de carro até Jujuy. Na Bolívia, o aeroporto mais próximo é o de La Paz; no Chile, é o Antofagasta, bem próximo ao deserto do Atacama mesmo.

Essas opções alternativas de aeroporto acabam sendo legais porque te permitem fazer a busca nas companhias aéreas tentando diferentes destinos e comparando os preços. Para pesquisar as passagens, a gente costuma usar o Google Flights. Uma das vantagens é justamente ver se há voos para cidades próximas ao seu destino final por valores mais em conta.

Mas atenção: não se engane pelas distâncias que costumam aparecer no mapa. Quando fomos, achamos que valeria a pena pegar um vôo até Córdoba porque parecia ser perto e o preço da passagem estava realmente muito bom, mas acabamos perdendo quase dois dias de viagem na estrada. Aliás, essa história é uma das que entrou para nossa lista dos cinco perrengues que já passamos em viagem pelo mundo! Por isso, é sempre bom verificar quanto tempo de carro leva de um ponto até o outro para não cair em furada.

Veja também: 7 lugares imperdíveis para conhecer em Jujuy, na Argentina


Onde se hospedar em Jujuy

Embora muitos turistas que vão pra lá acabem se hospedando em Salta, província que fica bem próxima, a gente acha que vale a pena guardar um tempo para conhecer alguns pontos de Jujuy.

Optar por uma hospedagem em Purmamarca ou Tilcara também facilita na hora de explorar alguns pontos turísticos famosos, como as Salinas Grandes e o Cerro de los Siete Colores, que estão em boa parte dos roteiros e das dicas de Jujuy. Se hospedar nesses locais também é vantajoso porque San Salvador de Jujuy é um pouquinho mais distante, enquanto Tilcara, por exemplo, fica no meio da Quebrada de Humahuaca.

Em Purmamarca, uma parada obrigatória para quem vai a Jujuy, a gente ficou no incrível Hotel Marqués de Tojo, que fica a quatro quadras da praça principal do centro. Ele fica super colado às montanhas, o que por si só já é quase uma atração turística.

Varanda do Hotel marques de tojo
Hotel Marques de Tojo, Argentina

O hotel também tem piscina, um café da manhã delícia e um bar. As acomodações são super aconchegantes, e é maravilhoso sair do frio congelante do lado de fora e entrar no quentinho dos quartos! A diária para casais costuma sair a partir de R$280 na alta temporada.


Também em Purmamarca, o Mirador del Virrey é uma acomodação com cabanas super charmosas no meio das montanhas, inclusive do famoso Cerro de los siete colores, que fica a 2km de lá. É uma opção com bom custo benefício para quem viaja em grupo, porque tem quartos para até cinco pessoas, podendo ser com camas de casal ou de solteiro. Quartos para até quatro pessoas ou cinco pessoas custam entre R$558 e R$678, respectivamente.

Quarto do Mirador Del Virrey, Cabañas Boutique
Mirador Del Virrey, Cabañas Boutique


Já em Tilcara uma opção legal é o Las Terrazas Hotel Boutique, que, além de ter quartos com uma decoração feita com artesanato local, ainda fica situado em uma colina de Tilcara, com uma vista incrível para o vale e cercado de jardins.

Além disso, o hotel oferece café da manhã, serve petiscos e bebidas em uma lanchonete e também tem área externa com piscina. A diária de um quarto duplo na alta temporada custa a partir de R$368.


Uma alternativa um pouco mais simples, mas com bom custo benefício é o Munay Humahuaca. Se a gente tivesse que escolher, se hospedar em Purmamarca seria mais legal, porque a região é muito mais agradável, mas há vantagens neste hotel em Humahuaca, principalmente o bom preço.

A decoração, o café da manhã e os ambientes do hotel não são sofisticados, mas é tudo de muito bom gosto e bem arrumadinho, tudo bem justo pelo preço que se paga. Quartos para casais custam em torno de R$125.


Passeios para fazer em Jujuy, Argentina

Como lembramos ali em cima no começo do post, ir a Jujuy é ter uma experiência super diferente da paisagem e do roteiro super urbano tradicional como é o caso de Buenos Aires, por exemplo.

O norte argentino oferece uma série de pontos turísticos repletos de montanhas (melhor ainda: montanhas super coloridas!), clima árido e frio (principalmente se você for no inverno), além de um povo simples, receptivo e cheio de tradições e festas que se mantêm na rica história milenar de lá.

Para conhecer a região, você pode fazer passeios com tours pagos ou ir por conta própria, em um carro alugado. Dependendo do tamanho do grupo que estiver com você nessa viagem ou mesmo do seu orçamento, a viagem com guias pode até valer a pena. O tour guiado vai em uma van parando nos pontos de interesse, o que acaba limitando um pouco caso você queira tirar fotos com calma ou mesmo demorar um pouco mais apreciando os visuais. Porém também pode ser divertido se você quiser fazer alguns amigos e não se preocupar em pesquisar muito com roteiro.


Esses tours são bastante populares e é provável que o próprio hotel ofereça algumas opções. Nós sugerimos agendar tudo com antecedência e um site bem legal para isso é o Get Your Guide.


Agora o que realmente interessa: o que conhecer por lá e quais os passeios que você não pode deixar de fazer!

#1 Purmamarca

Não deixe de ir a Purmamarca. Trata-se de uma cidadezinha que, embora pequena, vale ter um dia reservado no seu roteiro. Foi com certeza um dos lugares que mais nos encantou nessa viagem! A regra desse passeio é simplesmente não ter regra: simplesmente caminhe pela cidade de coração aberto para a incrível troca cultural que você pode experimentar por lá. Aliás, uma das dicas de Jujuy é sempre ir aberto a esse intercâmbio com a cultura local. Por ser super turístico, há uma variedade de locais para artesanato e restaurantes.

Ao redor de Purmamarca está um dos principais cartões postais da região do norte argentino: o Cerro de los siete colores. A montanha, como o seu próprio nome já diz, é toda colorida.

Montanha Cerro Siete Colores, Purmamarca, Argentina
Cerro Siete Colores, Purmamarca, Argentina

Sem dúvida um ponto ótimo para abusar da criatividade na hora de tirar as fotos, né? Na mesma vibe, mas talvez até melhor, há o Paseo de los Colorados, outra grande montanha mega colorida que também fica ao redor de Purmamarca.

trilha pelo Paseo Los Colorados, Purmamarca
Paseo Los Colorados, Purmamarca

A variação das cores é realmente bem impressionante. O passeio, neste caso, é ideal que seja feito a pé. Apesar de ser possível fazê-lo de carro, como o percurso é realmente impressionante por inteiro, você vai querer descer o tempo todo para tirar fotos. Vale demais uma caminhada para curtir o visual.

Veja também: Purmamarca: como chegar, onde se hospedar, o que fazer e dicas para a sua viagem

#2 Quebrada de Humahuaca

Também é mega recomendado explorar os vilarejos da Quebrada de Humahuaca, que além da paisagem ainda é cheia de história que até mesmo antecede os incas. Como esse local é todo cercado por várias montanhas cheias de cores, uma volta por essas cidadezinhas é um passeio e tanto.

Na Quebrada de Humahuaca, uma sugestão é parar em Maimará, de onde é possível enxergar a belíssima e colorida montanha chamada La Paleta del Pintor. Outra cidade é Humahuaca, que vale a passada por conta do seu valor histórico. A cidade em si não tem nada de muito encantador ou charmoso, mas os arredores valem a pena (e a comida também!).

Montanhas da Quebrada de Humahuaca
Quebrada de Humahuaca

Outros passeios para fazer pela região é a Serranía del Hornocal, onde ficam as montanhas coloridas em catorze tons e Tilcara, onde você encontrá a Pucará de Tilcara. Essa é uma fortaleza construída ainda pelos incas.


Como sugerimos, fazer um tour pela região pode ser uma ótima ideia. Nossa dica é aproveitar esse pela Quebrada de Humahuaca + Pumamarca e inclui os pontos que nós citamos.


Vista do Cerro Catorce Colores, Argentina
Cerro Catorce Colores, Argentina

Veja também: Conheça a Quebrada de Humahuaca, no Noroeste da Argentina

#3 Salinas Grandes

Outro passeio legal para se fazer é ir até as Salinas Grandes. Se você pretende ir ao Salar de Uyuni, na Bolívia, na mesma viagem, talvez não seja jogo, porque as Salinas Grandes são uma versão quase miniatura de Uyuni. No entanto, se é a sua primeira experiência num deserto de sal, vale super colocar na sua programação.

salar Ojos del Mar nas Salinas Grandes
Ojos del Mar, Salinas Grandes, Argentina

Se for com guia, melhor ainda. Apesar de gastar um pouquinho mais, o guia ajuda muito a não se perder na imensidão de branco e ainda por cima consegue levar até os ojos del mar, piscinas verdinhas e lindas demais no meio do deserto.

Você pode escolher um tour bem completo, que seja Salinas Grandes + Purmamarca + Quebrada de Humahuaca ou uma versão mais rápida, como o que passa por Purmamarca + Salinas Grandes.

#4 Festas Típicas de Jujuy

Essa não é exatamente uma dica de passeio, mas uma ótima pra quem pretende viajar para essa região e ainda não decidiu a data. Apesar de ser alta temporada, é uma boa ir em agosto, quando acontece o Dia de Pachamama, uma das festas mais tradicionais do norte argentino.

Outra programação cultural em agosto é o Éxodo Jujeño, que acontece no dia 23, e é uma data muito importante para a identidade nacional. Em fevereiro ou março, o carnaval também é uma grande atração e sem dúvida vale ter na lista de possíveis passeios para se fazer em Jujuy. Aliás, embora a gente não tenha curtido tanto Humahuaca, dizem que o carnaval por lá é um dos melhores e mais famosos da Argentina!


Dicas práticas de Jujuy, Argentina:

Roupas: A não ser que você vá no verão, uma das dicas de Jujuy que serve para praticamente qualquer outra época é em relação às roupas. Procure ir sempre preparado para o frio! Mesmo nas estações intermediárias, o clima do norte argentino é sempre gelado, ainda mais para nós brasileiros.

Embora a primavera e o outono tenham temperaturas agradáveis (eventualmente até calor) durante o dia, à noite sempre esfria. Por isso, vá preparado com gorros, cachecóis, casacos resistentes e bota (principalmente aquelas de trekking e ou mesmo um tênis que aguente uma boa caminhada). Um casaco corta vento também pode ajudar à beça.

Clima: Não se esqueça de que o norte argentino é uma região de altitude e o clima é super seco (mesmo!). Vá preparado para enfrentar isso e não esqueça:

  • Hidratantes corporais e labiais
  • Óculos escuros
  • Beba bastante líquido quando estiver por lá!
  • Soro fisiológico (ajuda muito para hidratar os olhos e o nariz).
  • Folhas de coca (mascar elas às vezes pode ajudar a respirar se você sentir dificuldade por conta do ar rarefeito).

Estradas: As estradas têm boa fiscalização. Deste modo, procure sempre verificar se está levando todos os documentos, tanto os seus quanto os do carro.

Vista da estrada Ruta 40 que passa por Jujuy, Argentina
Ruta 40, estrada que passa por Jujuy, Argentina

O carro também é um ponto importante! Não se arrisque dirigindo pelas estradas com pouca gasolina. Os postos nem sempre são próximos, assim é sempre bom se precaver e andar com o tanque cheio para evitar sustos e perrengues no meio do trajeto.

Dinheiro: Leve dólares americanos e deixe para trocar por pesos por lá mesmo. Embora seja comum levar dinheiro em real para se trocar em Buenos Aires, na região do norte argentino isso é um pouco mais difícil. Caso deixe para fazer o câmbio já nas províncias, o melhor local costuma ser Salta.

Chip internacional: Tanto para resolver questões práticas, como se localizar, consultar dicas de Jujuy, entrar em contato em caso de necessidade ou mesmo para postar aquela foto maravilhosa das montanhas, ajuda muito ter um chip internacional para ter acesso à internet. Uma recomendação constante que nós damos por aqui é o chip da EasySim4U ou o da Yes Brasil. Ambos são de ótima qualidade e nós usamos sempre nas nossas viagens. Para te ajudar a decidir qual deles é o ideal para as suas necessidades, leia também: EasySim4U ou Yes Brasil: qual é o melhor chip internacional?


Compre aqui o seu chip da EasySim4U. Use o cupom MALADEAVENTURAS10 para 10% de desconto.
Compre aqui o seu chip da Yes Brasil. Use o cupom MALADEAVENTURAS para 10% de desconto.


Seguro viagem: Nós sempre recomendamos contratar um seguro viagem pois nunca se sabe os imprevistos que podem acontecer. O Seguros Promo é o site que mais usamos quando vamos viajar. É bem fácil e tem ótimos preços. Para saber mais, leia também: Preciso de seguro viagem para a Argentina?


Utilize o código MALADEAVENTURAS para ganhar 5% de desconto no seu seguro!


Agora que você já sabe tudo sobre Jujuy, conta pra gente, gostou das dicas?


Você pode gostar de ver também:

Esquel, uma pequena cidade para conhecer na Patagônia Argentina (guia completo)

Roteiro de 10 dias em Bariloche e San Martin de Los Andes para curtir o inverno

Bariloche: tudo o que você precisa saber para a sua viagem


Cadastre seu e-mail e receba novidades!

faça parte da nossa lista, é de graça!

I will never give away, trade or sell your email address. You can unsubscribe at any time.