Planejando sua viagem para as Salinas Grandes? Esse deserto de sal localizado no noroeste da Argentina lembra o vizinho Salar de Uyuni, na Bolívia e tem atraído cada vez mais turistas que se surpreendem ao ver a beleza deslumbrante do local.

Se você também ficou curioso para conhecer o local, este post é pra você. Contaremos aqui tudo sobre as Salinas Grandes: como chegar, onde se hospedar e como foi a nossa experiência visitando esse lugar impressionante.


As Salinas Grandes da Argentina

Sabe aqueles lugares que você põe o pé e automaticamente se sente grato por ter tido a oportunidade de conhecer? Essa é a sensação de quem visita as Salinas Grandes, no norte da Argentina. A paisagem deslumbrante é de cair o queixo, e o deserto salgado argentino se assemelha bastante com o o Salar de Uyuni, na Bolívia, só que menor. Outra diferença entre os salares é que no da Argentina há lagos de sal por toda a região.

A melhor forma de voce entender o que estamos falando é realmente conhecendo o lugar, pois a grandeza da paisagem torna-se pequena dentro das imagens!

Newsletter
cadastre-se gratuitamente

Quer viajar mais e melhor?

Baixe nosso e-book com 30 dicas exclusivas
para você planejar e economizar nas suas viagens!
Bônus

checklist para uma mala impecável

a melhor planilha de planejamento de viagens dessa internet

E o melhor?
Todo esse material é gratuito!

Como se formaram as Salinas Grandes

Uma das dúvidas que me veio logo de cara foi: como se formou o deserto de sal naquela região? As Salinas Grandes resultam do acúmulo de sais minerais que se aglomeram após percorrer a Cordilheira dos Andes abaixo. Outro fator que proporcionou que o sal se formasse foi que as salinas ficam numa região de relevo baixo, conhecida como platô, e assim, a água da chuva se concentra ali até evaporar e o que permanece é o sal.

Ruta 52 Argentina
Ruta 52: estrada que liga a Argentina ao Chile

Onde ficam as Salinas Grandes

As Salinas Grandes ficam localizadas na província de Jujuy, no noroeste argentino. Você irá se deparar com uma paisagem branca para todos os lados, uma imensidão de sal que fica bem ao longe das montanhas. Situada na bela Ruta 52, que liga a Argentina ao Deserto do Atacama, o salar é uma boa opção de parada para quem está fazendo uma roadtrip pela América do Sul.

Muito mais singela que o vizinho Salar de Uyuni, na Bolívia, elas ocupam cerca de 212 km², contra 10.582 km² do boliviano. Ainda assim, é um passeio que vale muito a pena.

Como chegar nas Salinas Grandes

Jujuy possui aeroporto, mas não há voos diretos do Brasil para lá. O segundo aeroporto mais próximo de Jujuy é o Aeroporto Internacional de Salta Martín Miguel de Güemes, em Salta. Esse sim recebe voos diretos saindo de São Paulo pelas companhias Copa Airlines e Aerolíneas Argentinas. Partindo de outras cidades argentinas, é necessário fazer conexão em Buenos Aires, o que pode ser uma ótima ideia para quem pretende visitar mais de um destino na Argentina.

Saindo do centro de Jujuy, Salta ou Pumamarca há tours que levam para Salinas Grandes. Essa é uma boa opção se você não estiver de carro, já que ir por conta própria, de ônibus, é inviável.


Veja também: Purmamarca: como chegar, onde se hospedar, o que fazer e dicas para a sua viagem


Ruta 52 de carro

Durante essa viagem, nós alugamos um carro para ter mais comodidade de viajar pelas cidadezinhas e fazer a nossa roadtrip. Ao chegar nas Salinas Grandes contratamos o serviço de um guia local para que pudéssemos conhecer de perto o salar.


Alugamos o carro pela Rentcars e foi super prático e rápido. O site faz um compilado das opções das melhores locadoras e oferecem ótimos preços.

Clique aqui para fazer a sua reserva.


foto divertida salinas grandes
As Salinas Grandes são um ótimo lugar para fazer fotos divertidas como essa.

Tour guiado pelas Salinas Grandes

Também é possível conhecer as Salinas Grandes através de tours guiadas saindo de Jujuy. Há excursões de um dia para conhecer as Salinas Grandes e Purmamarca. Nesse passeio, você tem  a oportunidade de conhecer melhor a história da região, que vai sendo contada pelo guia.

Outra opção é ficar mais tempo na região, fazendo um passeio de dois dias pelas Salinas Granes, Purmamarca e Quebrada de Humahuaca. Lembrando que o passeio oferece guia bilíngue e traslado


Qual é a melhor época para visitar as Salinas Grandes da Argentina

Em geral, o clima dessa região costuma ser mais frio, mas também existem as épocas quentes. No caso das Salinas Grandes, que estão a uma altitude elevada, o ponto a se observar antes de planejar a viagem é que o clima está frio praticamente no ano todo. Para se ter uma ideia, o ponto mais alto da estrada fica a 4.170 metros acima do nível do mar.

Então, a melhor época  para visitar as Salinas Grandes é no meio do ano, entre junho e agosto, que é quando o clima está mais estável, com menos chances de chuva e ventos. Julho é o mês mais frio e agosto é o mais seco, então é bom esta atento aos agasalhos e bastante água para se hidratar.


O que conhecer nas Salinas Grandes

As Salinas Grandes são um passeio inesquecível e os “Ojos del mar” são excepcionais. Contudo, há muito mais para conhecer na região. Por isso, aqui vão algumas dicas de lugares legais para incluir no seu roteiro.

Salinas Grandes Argentina
Ojos del Mar, Salinas Grandes

“Ojos del mar”

Os “Ojos del mar” são as incríveis piscinas naturais de cor azul-turquesa que contrastam com o deserto branquinho de sal. Para chegar até esse lugar impressionante nós contratamos uma guia local e valeu super a pena. Ela nos explicou um pouco sobre a formação do salar e não teríamos chegado lá sem ela. Afinal você fica sem referencial para se localizar no meio da imensidão branca.

Visitar um salar foi uma das experiências mais fascinantes que já tive. Estar imersa naquela branquidão e pensar que lá onde eu pisava foi um imenso lago algum dia é incrível! E claro, aproveitei para tirar aquelas clássicas fotos com ilusões de perspectiva.

Não há uma estrutura turística muito boa na região, nada de restaurantes ou quiosques de comida. O máximo que você vai encontrar são alguns locais vendendo artesanato e um banheiro químico, e olhe lá.

Ah! Lembre-se de passar protetor solar porque o sol que reflete no branco do sal queima que é uma beleza.


Veja também: Salta: como chegar, onde se hospedar, onde comer e o que fazer


Cuesta del Lipan

Essa é a estrada que liga Purmamarca a Salinas Grandes e por si só já é um ponto turístico, por conta da sua inclinação impressionante. Em apenas 17 km de comprimento você passará de de 2.192m de altura em Purmamarca para 4.170m em Abra de Potrerillos (ponto mais alto). Em seguida, a estrada desce para Salinas Grandes e chega a 3.450m.

A Cuesta del Lipan é pavimentada mas deve ser dirigida sem pressa, pois há alguns trechos precários e ela não é tão bem sinalizada. Em determinado ponto, há um mirante onde as pessoas podem observar a estrada serpenteando e os carros subindo lentamente.

Essa é uma daquelas estradas cinematográficas que dá gosto de dirigir. A cada curva a paisagem vai ficando mais bonita, dá vontade de parar, descer do carro, tirar fotos e contemplar! O caminho é árido, sem muita vegetação. Há também lhamas de diversas cores e vicuñas selvagens.

Cuesta del Lipan Argentina
Cuesta del Lipan, Argentina

Depois de muitas curvas, chegamos a 4170m de altura! Isso foi o mais alto que já fui na vida! Apesar da altitude, não tivemos problemas para respirar ou tonturas e esses sintomas que costumam ocorrer nestes casos. Acho que é porque fomos subindo aos poucos, desde Salta até lá, parando em diversos povoados no caminho.

Lá, no meio do nada, sem nenhum povoado ou casa em volta, havia dois artesãos esculpindo pedras para vender aos turistas. Apesar de rústicas, achei as peças bem legais e comprei algumas para dar de presente.


San Antonio de los Cobres

Depois da incrível experiência explorando os “ojos del mar”, o dia terminou em San Antonio de los Cobres.

Essa é uma pequena cidade mineira em meio à desértica região da Puna Argentina, no norte do país. Localizada a 168km de Salta e a uma altitude de mais de 2600m acima do nível do mar, ela sofreu depois que as minas e a estrada de ferro se deterioraram.

Por outro lado, é um ótimo exemplo de uma típica povoação andina, com casas de adobe, ruas quase desertas e uma impressionante queda de temperatura após o anoitecer.

A cidade oferece poucas opções de restaurantes e não tem muitos pontos turísticos. Um dos mais conhecidos é o Viaducto La Polvorilla, que é um imponente viaduto, construído em 1930 e com 224m de extensão. Se pensar por esse lado, ele até pode ser impressionante, mas sejamos francos, não é nada demais.

Outro atrativo da cidade são as lhamas de Anatolio. Eu não pude fazer esse passeio, mas ouvi boas indicações. Você vai até a casa de Anatolio e compartilha de sua vida diária de pastor de lhamas, que são fofas e ornadas com apetrechos coloridos na cabeça.

lhamas argentina
Lhamas em San Antonio de los Cobres

Se você for seguir viagem até a região de Tolar Grande vale a pena incluir San Antonio de los Cobres no seu roteiro. Porém, se esse não for seu plano inicial, não se preocupe, pois não é um destino que consideramos imperdível.

Tolar Grande é uma zona extremamente árida e pouco povoada, repleta de salares e paisagens incríveis. Infelizmente pela falta de tempo não pude incluir no meu roteiro.

A melhor maneira de conhecer a região é indo com algum dos passeios oferecidos pelas agências de viagem. Porém, esteja preparado para preços salgados.


Veja também: 7 lugares imperdíveis para conhecer em Jujuy, na Argentina


Onde se hospedar próximo às Salinas Grandes

Uma ótima região para se hospedar e ficar pertinho das Salinas Grandes é em Purmamarca, na província de Jujuy. Lá você estará a pouco mais de uma hora de distância.

Nossa sugestão de hotel é o Colores de Purmamarca, que consegue oferecer muito conforto sem perder o clima do local. O hotel é todo em adobe, a decoração combina perfeitamente com o exterior e os quartos são amplos e agradáveis. Além disso ainda tem uma piscina e uma vista espetacular das cadeias montanhosas.

Salinas Grandes: o deserto de sal da Argentina


Outra opção espetacular é o hotel Marqués de Tojo, que tem 4 estrelas, é bem requintado e com vista para as montanhas. Tem piscina, é espaçoso e o atendimento é nota 10. Essa é, sem dúvidas, uma ótima hospedagem e foi a nossa escolha!

Marques de Tojo, Purmamarca
Hotel Marques de Tojo, Purmamarca

Salinas Grandes: o deserto de sal da Argentina


Alternativa: hospede-se em San Antonio de los Cobres

Se você estiver viajando de carro, provavelmente passar por San Antonio de los Cobres e o único hotel legal da cidade é o Hotel de las Nubes. Ele se destaca em meio às construções simples da cidade. Com estrutura excelente, especialmente para a cidade, ele recebe seus hóspedes com um ambiente climatizado e perfeito para fugir do frio que faz do lado de fora.

O quarto é simples, mas muito aconchegante. O atendimento foi excelente e fomos muito bem recebidos. As opções de jantar são poucas e o menu é um pouco caro, mas vale a pena para não ter que sair e enfrentar o frio que faz do lado de fora. É definitivamente a melhor opção da cidade.

Salinas Grandes: o deserto de sal da Argentina


Salinas Grandes: informações úteis para a sua viagem

  • Alugamos o carro no site RentCars e funcionou super bem! Fizemos a comparação de preços entre as locadoras no site e alugamos por lá mesmo. Rápido e prático!
  • Sempre que encontrar um posto de gasolina, encha o tanque, pois não se sabe quando vai encontrar outro.
  • O ideal é andar com dinheiro em espécie por lá (pesos argentinos), pois não vimos muitas casas de câmbio e bancos para sacar dinheiro.
  • Caso você não se sinta muito a vontade de viajar de carro por lá ou não seja possível fazer a viagem desta maneira, você pode encontrar passeios saindo de Salta diariamente com este percurso que dá para fazer em um dia. Geralmente o passeio sai bem cedo de Salta, passa por San Antonio de los Cobres, Salinas Grandes e Purmamarca, voltando para Salta no anoitecer. Confira aqui.

Dica extra: seguro viagem internacional para a Argentina

Acidentes e imprevistos podem acontecer em qualquer viagem! Por isso, anote uma dica sincera de quem viaja com frequência: O seguro viagem é indispensável independentemente de onde você está indo. Ainda mais se for viajar pegando a estrada, como foi o nosso caso.

Mas seguro viagem é caro? Geralmente essa é a primeira preocupação de quem está viajando. Os valores do seguro vão variar de acordo com a cobertura da apólice e também da duração da sua viagem. O segredo é saber escolher bem a sua seguradora. Nós sempre usamos em nossas viagens e recomendamos o Seguros Promo, que tem ótimos preços, além de um atendimento que tira todas as suas dúvidas antes de fechar. E para nossos leitores, conseguimos um desconto maneiro!


Clique aqui e faça agora mesmo a sua cotação com a SegurosPromo.
Use o cupom MALADEAVENTURAS para 5% de desconto.


San Antonio de los Cobres
San Antonio de los Cobres

Continue o planejamento da sua viagem para a Argentina:

Preciso de passaporte para viajar para a Argentina?

Preciso de seguro viagem para a Argentina?

O que conhecer na Quebrada de Humahuaca: Maimará, Tilcara e o Hornocal

Roteiro de 10 dias em Bariloche e San Martin de Los Andes para curtir o inverno


 

Quem escreve | @gaiavani
Fotógrafa, viajante de carteirinha e empreendedora digital, a editora do Mala de Aventuras vive a vida intensamente, aproveitando cada horinha do seu dia para transformar o mundo através das viagens.
  • Sobre
    Sobre o Mala de Aventuras
    Olá, somos a Gaia e a Nanda!
    Aqui nós compartilhamos as melhores
    dicas e roteiros de viagem para que você possa viajar mais e melhor
  • Organize a sua viagem!
    Descubra quais ferramentas nós e
    outros viajantes profissionais usamos
    para economizar nas viagens!
  • Publicidade
  • Nossos presets!
  • Newsletter

    Junte-se a mais de
    100.000 leitores e receba
    gratuitamente dicas de
    viagem exclusivas

  • Destaque
  • Posts em destaque
  • E-Book fotografia
  • Assista no Youtube!
  • Publicidade

9 respostas

  1. Olá! Adorei o relato e, graças a ele, acabei descobrindo sobre Tolar Grande. Fui pesquisar e pretendo ir até lá, só ainda não planejei como, heheh! Enfim, você poderia me informar onde contratou essa guia que levou vocês a Salinas Grandes e como fizeram para achar o contato dela? Foi em Purmamarca mesmo? Aí ela acompanhou vocês até San Antonio e de volta? Agradeço desde já, vai ser de muita ajuda!

    1. Oi Felipe! Muito bom saber que o post ajudou você a programar sua viagem =)
      Depois conta aqui como foi Tolar Grande. Queria muito ter ido, mas não tive muito tempo. Deve ser incrível, de tão remoto que é!
      Sobre a guia de Salinas Grandes, nós a encontramos lá mesmo, em um local para estacionar o carro, com banheiros improvisados e alguns vendedores de artesanato. Não é muito dificil de achar, mas você pode perguntar em Purmamarca no centro de informações para garantir.
      Ela foi lá da beira das Salinas até os tais “ojos del mar” no nosso carro e foi isso. O passeio durou cerca de 1 hora.
      Espero ter ajudado! Boa viagem =)

      1. Ajudou muito Vani, informação de extrema importância para o meu planejamento! Assim tenho mais um ponto da viagem esclarecido! Muito obrigado!

  2. Bom dia. Relato muito bacana! Qual estrada você usou para ir de Salinas Grandes até San Antônio de Los Cobres? Por acaso foi uma estrada de rípio que corta a Ruta 52 pouco antes de chegar ao Salar? Como estavam as condições da estrada? Desde já obrigado.

    1. Olá, Bruno! Tudo bem?

      Eu acho que só tem uma estrada que liga estas localidades, não? To vendo o Google Maps agora e parece que é a RN51. Ela é de rípio mesmo e estava boa. Aliás, achei as estradas de maneira geral na Argentina muito boas! Claro que tem que dirigir devagar e com cuidado pois não é tão confortável como um asfalto.

      Espero ter ajudado! Boa viagem =)

      1. Obrigado. Sim. Existe uma só estrada. Eu perguntei porque li relatos em outras páginas de que algumas pessoas iam até Susques e desciam pela RN 40 até San Antônio de Los Cobres. Pelo que entendi esse não foi o caso de vcs. Eu fiquei curioso, pois vou fazer uma viagem de moto por alguns países da América do Sul e gostaria de rever a Cuesta de Lipan e Salinas Grandes, mas depois ir até San Antônio de Los Cobres para Cruzar até San Pedro de Atacama pelo Paso Sico (o Paso Jama eu já fiz).

  3. Olá,
    Pretendo fazer a mesma viagem ao contrário. Indo de Jujuy e parando em Tilcara ou Purmamarca ate San Antonio de los Cobres e depois parando em Cachi e seguindo a Cafayate e depois Salta. Tenho duas perguntas: Dá para dormir só em Purmamarca ou Tilcara e visitar as duas? Onde contrataram o guia para Salar grande.
    Obrigada! E obrigada pelas dicas do blog.

    1. Oi Maria José! Puxa, sua mensagem ficou perdida aqui e não sei se ainda vale responder sua dúvida. Mas acho que pode ajudar outros leitores aqui do blog. Então vamos lá:

      – Purmamarca e Tilcara ficam bem próximas, portanto é possível sim visitar ambas em um dia e escolher uma delas para pernoitar.

      – Ao chegarmos em Salinas Grandes, encontramos um centro turístico improvisado onde encontramos guias para fazer o passeio. Não sei dizer a localização exata, mas foi na estrada principal, então não tem erro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *