Que a atração mais visitada do Peru é Macchu Picchu, a gente já sabe, mas o que há de legal além do Vale Sagrado dos Incas? Conheça a Montanha Colorida do Peru, um passeio que pode ser feito a partir de Cusco e que é imperdível para quem curte atividades ao ar livre, trilhas e paisagens de perder o fôlego. Encontre também neste posts todas as informações para você planejar seu passeio.


A Montanha Colorida do Peru

Conhecida mundialmente como Rainbow Moutain, ou localmente como ‘Montanha Vinicunca’, a Montanha Colorida (Peru) existe em apenas 3 lugares do mundo: no Peru, na Argentina e na China. As Motanãs de 7 colores do Peru, falando mais especificamente, são ainda pouco conhecidas e exploradas, mas vêm sendo cada vez mais divulgada pelas agências de turismo da região.


Dica: confira também como são as montanhas coloridas da Argentina. A Gaia já visitou o Cerro Siete Colores e Purmamarca e compartilhou sua experiência em um post completíssimo para facilitar a vida de quem estiver planejando uma viagem para lá.

Newsletter
cadastre-se gratuitamente

Quer viajar mais e melhor?

Baixe nosso e-book com 30 dicas exclusivas
para você planejar e economizar nas suas viagens!
Bônus

checklist para uma mala impecável

a melhor planilha de planejamento de viagens dessa internet

E o melhor?
Todo esse material é gratuito!


Vale a pena visitar a Montanha Colorida peruana?

Sim. Esse é um dos lugares mais incríveis da região. Contudo, este não é um passeio para qualquer um. São 10km de caminhada em montanha íngreme a 5 mil metros de altitude. Por isso, é preciso ter preparo físico e não sofrer de problemas pulmonares.

Se você for sedentário, pode rolar um desconforto durante o percurso. Portanto, o ideal é ir com guia ou em grupo para não correr o risco de passar mal sozinho.

trilha Montanha colorida do Peru
O vale até chegar no topo da Montanha Colorida do Peru é lindíssimo!

Como se formou a Montanha Colorida do Peru?

Os guias explicam que as montanhas possuem essas cores devido aos minerais presentes em sua composição, mas não se sabe em que momento elas se formaram. Na história inca, a Montanha de 7 Cores e os lagos presentes nos arredores nasceram da energia masculina que fertilizou a mãe terra Pachamama dando origem às cores da terra e ao brilho das águas.

Há algum tempo, só era possível chegar lá por meio de uma trilha que durava 5 noites. Ainda bem que isso mudou e agora podemos chegar ao arco-íris peruano em apenas algumas horas!


Leia também: Viagem ao Peru: passo a passo para você planejar sua viagem


Montanha Colorida do Peru: guia prático para você planejar o seu passeio

Agora que você já sabe que as Montanhas Coloridas do Peru são incríveis e está ansioso para a sua viagem até lá, aqui vão algumas dicas práticas para você planejar seu passeio: quando ir, onde fica e como chegar, como se preparar para a trilha, etc.

Rainbow Mountain Peru
É impressionante observar as diferentes tonalidades da montanha!


Quando ir: melhor época para conhecer a Montanha Colorida do Peru

A melhor época para subir a Montanha Colorida é no período que tem menor precipitação de chuvas: de junho a agosto. Essa época coincide com a alta estação pelas férias escolares de muito países, então é possível encontrar um passeio lotado. Mas nada que interfira na trilha ou na apreciação das montanhas.

A estação seca é de abril a novembro, e é ótima para quem deseja encontrar céu azul e uma paisagem bastante viva e iluminada. Os meses que antecedem a e sucedem a alta estação podem ser uma boa pra quem busca um passeio mais tranquilo.

Evite a estação chuvosa: dezembro a março. O céu fica constantemente nublado, a montanha fica coberta de névoa e dependendo do mês, pode nevar com mais frequência.


Onde fica a Montanha Colorida do Peru

A Montanha Colorida do Peru está localizada a cerca de 100km de Cusco, no distrito de Pitumarca, província de Canchis. Ela faz parte do circuito do nevado Ausangate. Além disso, é a quinta montanha mais alta do país, possuindo 5.200 metros de altitude.


Como chegar na Montanha Colorida do Peru

Saindo de Cusco, o trajeto até a base dura cerca de 3 horas de van ou ônibus. A maioria das empresas sai de Cusco às 3h da manhã (é preciso ter um bom despertador! rsrs), faz uma parada para o café da manhã às 6h e a subida propriamente dita começa por volta das 7h.

A partir daí, são 3 horas de subida e cerca de 2 horas de descida, o que soma um total de 5 horas de trajeto. Por volta do meio-dia, o grupo começa a se reunir de volta na base e um pouco depois das 13h acontece a parada para o almoço, no mesmo local do café da manhã. Por fim, às 14h se inicia o retorno para Cusco, que termina entre 17h e 18h já na cidade.

trilha da Montanha Colorida
A trilha da Montanha Colorida exige um certo preparo físico devido à altitude.

Como é trilha da Montanha Colorida do Peru

No total, são cerca de 17 km de caminhada entre subidas e descidas. Ainda no início da trilha, é possível curtir as diferentes montanhas (algumas com neve no topo durante o inverno), as casinhas de madeira, as ovelhas, lhamas e outros animais típicos da região, rios, entre outras paisagens da natureza peruana. Ou seja, o trajeto é todo muito interessante!

Os moradores locais também fazem parte do passeio. Apesar da pobreza da região, eles se mostram felizes, receptivos e dispostos a contar tudo sobre a cultura.

Caso você não aguente subir por conta própria, há cavalos para auxiliar no trajeto (custa cerca de 60 soles, subida + descida). Contudo, num geral, os animais são explorados e não são muito bem tratados em locais turísticos do mundo todo. Por isso, não indico usar este método.


Quanto custa o passeio para a Montanha Colorida do Peru

Há diversas opções de agências que oferecem esse passeio em Cusco, mas eu recomendo reservar com antecedência para evitar perrengues. Dessa forma, você garante uma experiência completa e com uma empresa de confiança.

Os valores do tour de 1 dia para a Montanha Colorida do Peru podem variar de U$40 a U$70. Lembre-se de conferir o que estará incluído no passeio, que geralmente é o transporte, o guia, as taxas de acesso e duas refeições (café da manhã e almoço).


Clique aqui para fazer a reserva do seu tour.


Não indico subir por conta própria

Subir a montanha colorida do Peru por conta própria pode ser arriscado. Apesar da trilha ser tranquila, ir com um guia é bastante útil, pois ele poderá ajudar caso você se sinta mal. Se você estiver sozinho, não conte com internet para se comunicar, pois a conexão é fraquíssima.

Se ainda assim quiser arriscar, você vai gastar com o ônibus ou van até a base e, após subir, pagará a  entrada da Montanha Colorida que custa 10 soles.

Vila peruana presente na trilha da Montanha Vinicunca
Vila peruana presente na trilha da Montanha Vinicunca


Dicas para se preparar para a trilha até as Montanhas Coloridas do Peru

  • Durma cedo, pois o corpo precisa mesmo estar preparado para a trilha.
  • É possível ainda dormir no trajeto de van, já que os guias não costumam ir falando.
  • É interessante se preparar no dia anterior comprando água, biscoitos e sanduíches para quando bater aquela fome durante o caminho.
  • Vá preparado com camadas de roupa, pois a temperatura pode variar bastante.

O local é bem deserto, por isso é importante preparar uma mochila com água e coisinhas para comer. Lembro de só ter visto vendedores ambulantes lá no alto da montanha.

Esse passeio chega a 5.200 metros de altitude, o que é MUITO alto para o que estamos acostumados no Brasil. Acreditem, a hidratação ajuda muito para que a pressão não baixe. Caso isso aconteça, os guias estarão preparados com folhas de coca, um líquido de eucalipto para inalar (tive que usar bastante esse!) e até latas de oxigênio para emergências.

Ainda no início, a altitude já chega aos 4.000 metros de altura, então é importante ir devagar, caso contrário, você pode não aguentar a subida toda. Indico também, passar alguns dias em Cusco antes do passeio, para ir se acostumando com a altitude.

Um outro ponto importante, é que a temperatura varia muito ao longo do dia, principalmente no inverno. Quando se chega na entrada da trilha, é ainda muito cedo e consequentemente, muito frio. Portanto, vista-se em camadas (térmica, fleece, corta vento).

É interessante também vestir itens que possam ser tirados conforme o sol for subindo, como luvas, gorro, cachecol e meias. Leve também algo para proteger os ouvidos pois pode ventar muito, além de protetor solar e hidratante labial por conta do sol forte. Eu repassava a cada 5 minutos e ainda assim sentia meu rosto queimando.

peruana subindo a montanha colorida do peru
Paisagem árida contrastando com as roupas coloridas dos locais durante a subida

Dica extra: seguro Viagem para o Peru

Como você percebeu, a Montanha Colorida do Peru é um passeio que exige esforço físico. Por isso, é bom você já ir prevenido contra qualquer acontecimento que prejudique sua saúde e bem estar.

Sempre recomendamos viajar com o seguro viagem durante uma viagem internacional! Nossa dica é o site SegurosPromo, que oferece ótimas opções de preços e coberturas.

Para ter uma ideia, você encontra opções a partir de R$10 por dia para 15 dias de viagem pela América do Sul. Sem dúvidas, vale a pena o investimento.


Dica: insira o código MALADEAVENTURAS ao finalizar sua compra para garantir 5% de desconto. Clique aqui para fazer a sua cotação.


Essa montanha é um deleite para quem não dispensa uma boa aventura! Gostou das nossas dicas? Não deixe de compartilhar nos comentários suas experiências e dúvidas!


Está planejando um mochilão pela América do Sul?

Confira outros posts que podem auxiliar na sua viagem:

O que fazer em Cusco, Peru: 12 passeios imperdíveis na capital do Império Inca

Roteiro de 3 dias pelo Salar de Uyuni (Bolívia)

4 lugares imperdíveis para conhecer no Deserto do Atacama


Quem escreve | @maladeaventuras
Lusiane
  • Sobre
    Sobre o Mala de Aventuras
    Olá, somos a Gaia e a Nanda!
    Aqui nós compartilhamos as melhores
    dicas e roteiros de viagem para que você possa viajar mais e melhor
  • Organize a sua viagem!
    Descubra quais ferramentas nós e
    outros viajantes profissionais usamos
    para economizar nas viagens!
  • Publicidade
  • Nossos presets!
  • Newsletter

    Junte-se a mais de
    100.000 leitores e receba
    gratuitamente dicas de
    viagem exclusivas

  • Destaque
  • Destaque
  • Posts em destaque
  • E-Book fotografia
  • Assista no Youtube!
  • Publicidade

6 Responses

    1. Oi Adriana, tudo bem? Eu subi a cavalo sim. É claro que o ideal é sempre poupar os animais desse tipo de esforço, mas eu tive que recorrer a essa opção pois a reação do meu corpo à altitude foi bem pior do que eu esperava: a cada 5 passos que eu dava, sentia muito cansaço e tonteira, enquanto com o cavalo não senti absolutamente nada.

      Imagino que a conquista por conseguir subir a pé deve ser mais satisfatória, portanto indico que você sinta na hora se vale a pena ou não recorrer ao cavalo, até por conta do gasto extra, né? Mas no geral não achei perigoso, primeiro porque os cavalos já estão acostumados com o caminho, além de serem guiados, segundo porque a subida não é nem um pouco íngreme, então parece que você está andando sempre no plano. Com eles, acaba sendo uma subida bem tranquila! 😉

      Espero que eu tenha respondido a sua dúvida, e depois conta aqui se você fez esse passeio e como foi, ok? Beijos!

      1. Amanda, vou para Cusco com meu filho de 9 anos em julho-17. Vc viu crianças fazendo o passeio a cavalo? Queria muito conhecer esta montanha, mas vi tantos relatos sobre a dificuldade da trilha mesmo subindo a cavalo q estou na dúvida se incluio no roteiro. Obrigada.

        1. Oi Selma! Olha, eu não vi nenhuma criança fazendo essa trilha e de fato, não sei se aconselharia. Não é nem pela subida em si, já que a cavalo é tranquilo, mas pela altitude do local.

          Caso você queira muito fazer essa trilha, sugiro que passe alguns dias em Cusco com seu filho para adaptação à altitude, e caso ele esteja reagindo bem, aí você pensa em fazer esse passeio. Dá para fechar de lá mesmo, mas antes pergunta se é indicado para crianças, porque talvez seja até proibido.

          Comigo foi assim: eu passei 2 noites em Cusco e achei que estava adaptada, mas quando subi para as Rainbow Mountais senti muita diferença. Eu precisava beber água de 2 em 2 minutos e usar água de florida, uma espécie de álcool para cheirar e conseguir respirar melhor, além de tomar as famosas soroche pills. Talvez isso tudo seja demais para uma criança de 9 anos.

          Além disso, tem uma parte no final que o cavalo não sobe, então tem que fazer a pé mesmo. Apesar de ser curtinha, meu medo é dele não aguentar e você não ter o que fazer, pois lá é afastado de tudo, não tem hospital nem nada… Então sendo realista, é um risco que você iria correr. Pensa direitinho! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *